Médicos de outros Estados chegam ao Rio segunda-feira para ajudar no combate à dengue

RIO DE JANEIRO - Os primeiros médicos de outros Estados que reforçarão o atendimento no sistema de saúde do Rio de Janeiro começam a chegar ao Estado na próxima segunda-feira. Eles atendem o pedido do secretário estadual de Saúde, Sérgio Côrtes, que solicitou cerca de 150 profissionais para ajudar no combate à epidemia de dengue.

Agência Brasil |

O presidente do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass), Osmar Terra, informou que os profissionais, em sua maioria pediatras, ficarão no Estado o tempo que for necessário, obedecendo a um sistema de revezamento.

O salário será pago por seus estados de origem. O governo do Rio pagará a hospedagem, o transporte e R$ 500 por plantão de 12 horas.

Terra informou que cada estado está fazendo um levantamento e consultando os quadros funcionais, inclusive de hospitais universitários, para determinar quantos médicos serão deslocados para o Rio.

Ele adiantou que, até o momento, os estados já definiram 80% do pessoal solicitado. O Rio Grande do Sul enviará 20 médicos; Santa Catarina dez; Minas Gerais e Paraná 15, cada um; Mato Grosso 20, sendo 10 pediatras e 10 infectologistas e o Amapá, sete pediatras.

Todos os estados estão mandando gente para o Rio de Janeiro. Nós fechamos que não vai ter nenhum estado sem mandar pelo menos um ou dois profissionais para o Rio de Janeiro. Nenhum estado fica de fora, disse o presidente do Conass.

Os profissionais trabalharão na rede pública de saúde e nos centros de hidratação para pacientes com dengue.

O Conass realiza ainda nesta quinta-feira, no Rio, uma reunião nacional extraordinária para traçar estratégias contra a epidemia de dengue.

Leia também:

Leia mais sobre: dengue

    Leia tudo sobre: dengue

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG