Um integrante do painel cujas novas recomendações sobre mamografia provocaram confusão saiu hoje em defesa do relatório da Força-Tarefa de Saúde Preventiva dos Estados Unidos. O doutor Timothy Wilt, um dos membros da força-tarefa, manteve hoje a indicação de que a maioria das mulheres não precisa fazer mamografia na casa dos 40 anos.

Bastaria, a partir dos 50 anos, se submeter ao exame uma vez a cada dois anos.

Numa entrevista concedida hoje ao programa "Good Morning America", da rede ABC, Wilt observou que a recomendação é fruto de um relatório baseado "em informações corretas e atualizadas sobre as evidências referentes aos danos e benefícios do tratamento". Ele reforçou, no entanto, que cada mulher deve conversar com seu médio para que seja tomada a decisão mais adequada a cada caso. A Sociedade Americana do Câncer recomenda que todas as mulheres deveriam realizar mamografias rotineiramente a partir dos 40 anos.

AE-AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.