RIO DE JANEIRO ¿ O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro recebeu nesta quarta-feira a denúncia do Ministério Público Estadual contra a médica Yajaira Yokasta Arias Valdez, acusada de falsidade ideológica e exercício ilegal da medicina. Natural da República Dominicana, http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2009/07/31/medica+que+usava+identidade+de+outra+profissional+em+upa+e+presa+no+rio+7618915.html target=_blankela foi presa no último dia 30 de julho por usar a identidade de outra médica para trabalhar irregularmente na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Manguinhos, na zona norte do Rio.

Após um cuidadoso exame dos autos do flagrante que serviram de lastro à inicial, verifica-se a presença de todas as condições necessárias à deflagração da ação penal, com especial relevo para a justa causa. Portanto, recebo a denúncia, escreveu a juíza Yedda Christina Ching San Filizzola Assunção, da 23ª Vara Criminal da capital, na decisão.

A magistrada determinou que o passaporte da médica seja apreendido, com urgência, e fique retido até nova ordem judicial. A juíza deferiu, no entanto, pedido de liberdade provisória formulado pela defesa da médica, mediante termo de compromisso de comparecimento a todos os demais atos processuais. Segunda a magistrada, a defesa apresentou provas que tornam desnecessária a prisão da dominicana.

Não se vislumbra nos autos a presença dos pressupostos necessários à manutenção da prisão cautelar da acusada, até porque o seu passaporte deverá ficar retido neste Juízo de Direito até ulterior determinação judicial, concluiu.

No pedido de liberdade provisória, a defesa alega que a médica é primária, tem bons antecedentes, tanto no Brasil como em seu País de origem, possuindo domicílio certo no Rio de Janeiro. Sustenta também que a dominicana foi aprovada em seleção para treinamento junto à Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).

Leia mais sobre: falsidade ideológica

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.