MEC vai se encontrar com 55 reitores na próxima semana

BRASÍLIA ¿ Representantes do Ministério da Educação vão se reunir com os reitores de 55 universidades do País nesta segunda-feira (05/10) ou nesta terça-feira (06/10). Segundo a assessoria do Inep (Instituto Nacional de Estudo e Pesquisas Educacionais), todos os diretores enviaram uma mensagem de solidariedade ao ministério desde o adiamento do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).

Christian Baines, repórter em Brasília |

O objetivo seria minimizar o efeito do adiamento do exame e desencorajar supostas intenções de algumas universidades de descartar o Enem da composição de suas vestibulares.

Nesta sexta-feira, representantes do MEC, do Inep e do consórcio responsável por executar todas as etapas do exame estiveram reunidos durante todo o dia. Eles discutiram, basicamente, o processo logístico da aplicação da prova. A conversa vai continuar durante todo o fim de semana.

Segundo o presidente do Inep, Reynaldo Fernandes, teria sido apenas uma discussão técnica para tratar apenas dos elementos chave do processo, como a confecção de prova, a entrega, a parte de impressão, a parte de mixagem e a logística até os pontos de distribuição. Não se discutiu quem seria o responsável em arcar com o prejuízo nem mesmo as questões do contrato. Afinal, o acordo previa o pagamento de uma indenização em casos de quebra de sigilo. 

Estamos revendo os procedimentos logísticos do Enem que foi aplicado. (...)Discutimos todos os pontos que podiam ser melhorados, pontos que podiam ter algum nó, algum problema, afirmou. Não entrou nada da questão do contrato. Foi uma reunião técnica, de logística. (...) Questões contratuais vão ser levadas aos advogados. Nenhum advogado participou da reunião. O contrato está mantido no sentido de que ele está em vigor até hoje.

Fernandes também reforçou que não foi definida a nova data para a realização do exame. Não temos a data. A data sai no último momento da reunião. A reunião não tem data para acabar. Nem hoje nem este fim de semana, disse.

Em relação à apuração de como se deu o vazamento, em qual fase do processo, o professor negou que o intuito da conversa seja esse e destacou que esse é papel da Polícia Federal. Não estamos tratando de investigar como seu deu a violação dessa prova. Isso é uma coisa que polícia está investigando.

O professor confirmou que a Polícia Federal comunicou o órgão de que não seria capaz de realizar a segurança da execução do exame. A PF emitiu uma nota nesta quinta-feira contrariando a informação do MEC de que os agentes federais participavam da fiscalização em todas as etapas do processo.

O Inep esteve lá [em reunião com a Polícia Federal]. Eu não participei. Eles nos disseram que têm dificuldade de participar nas pontas [da distribuição] e participavam apenas na parte de inteligência da prova. Ou seja, monitorando qualquer coisa que pudesse acontecer. A segurança da prova física estava no contrato com o consórcio.

A representante do consórcio, a sócia-diretora da Consultec, Itana Marques Silva, por sua vez, descartou a possibilidade de alguma vulnerabilidade no sistema de segurança.

Não houve fragilidade na segurança do Enem. Essa é uma conclusão que eu diria precipitada. (...) Emitir um julgamento desse processo é muito delicado. Quando um organizador de concurso assina um contrato com a Inep/MEc, ele tem um protocolo, uma rotina de compromissos firmados, que são muito rigorosos. E certamente posso assegurar que todos os critérios de segurança possíveis e estabelecidos pelo Inep/MEC  foram executados, disse.

Fernandes procurou ainda minimizar o vazamento ao lembrar que todas as empresas do ramo estão passíveis de sofrerem com esse tipo de problema.  Se você pegar todas as grandes empresas de concurso, não há nenhuma que nunca teve problemas.

PF abre inquérito para investigar Enem

(*Com informações das agências Estado e Brasil)

Leia também:


Leia mais sobre:
Enem

    Leia tudo sobre: enemhaddadinepmecvestibular

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG