MEC questiona aumento no analfabetismo entre adultos em 2008

O ministro da Educação, Fernando Haddad, considerou ¿pouco crível¿ resultado da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira. O levantamento apontou um aumento absoluto no número de analfabetos com mais de 25 anos entre 2007 e 2008, com concentração na Sudeste.

Sarah Barros, repórter em Brasília |


Estamos tentando entender se houve alguma mudança metodológica que possa ter chegado a este resultado. [...] É pouco provável que alguém tenha se declarado alfabetizado em 2007 e analfabeto em 2008, afirmou Haddad.

Mesmo com a possibilidade de mudança, Haddad avaliou que o ritmo de alfabetização de adultos pode melhorar. A saída seria maior adesão de estados e municípios ao programa Brasil Alfabetizado. Onde há adesão, resultado foi mais forte. Então nossa sugestão é que eles adiram ao programa, disse. A não adesão ao programa, segundo Haddad, pode impedir o cumprimento da meta internacional de diminuir a taxa de analfabetos para 6,7% em 2015.

O ministro comemorou, entretanto, o resultado que indica maior alfabetização na faixa etária de 10 a 24 anos, que caiu 7%. Isso significa dizer que crianças e jovens estão se alfabetizando mais adequadamente e precocemente, afirmou.

Atendimento

Por outro lado, o ministro comemorou o aumento no atendimento de crianças de 4 a 5 anos, com melhora de 2,7 pontos percentuais. No atendimento aos jovens de 15 a 17 anos também houve incremento, de dois pontos percentuais. Rompemos a barreira dos 84% de atendimento o que é muito bom porque era um indicador que estava estável há muitos anos, destacou.

O ministro ponderou ainda que o resultado aponta maior interesse deste público pela escola. Ao contrário da Educação Infantil, em que o aumento de matrícula é natural com o aumento da oferta, a questão no ensino para jovens não é de oferta. O jovem precisa ver sentido no retorno à escola e nós percebemos este retorno, disse.

Escolaridade

Sobre o aumento na escolaridade, Haddad avaliou que o ritmo de crescimento, de aumento de dois anos de escolaridade média a cada década, é satisfatório. É um ritmo na comparação internacional muito adequado e pode melhorar mais se a proposta de emenda constitucional de ampliação da obrigatoriedade de matrícula de 4 a 17 anos for aprovado este ano, disse.

Veja os principais dados da Pnad 2008:

Leia mais sobre: Pnad

    Leia tudo sobre: ibgepnadpopulação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG