MEC prevê gasto de R$ 140 milhões com novo Enem

O Ministério da Educação (MEC) prevê um gasto total de cerca de R$ 140 milhões com o novo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2009. Segundo nota divulgada hoje pelo ministério, o valor corresponde ao número de alunos inscritos no exame (4,1 milhões) multiplicado pelo preço pago pela taxa da prova: R$ 35.

Agência Estado |

Até esta quinta, os gastos publicados no Diário Oficial da União (DOU) já somam R$ 131,8 milhões. Hoje, o DOU publicou o contrato assinado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) e pelo consórcio formado pela Fundação Universidade de Brasília/Cespe e Cesgranrio, que traz um custo operacional de R$ 99.959.837,86.

Em caráter emergencial, a contratação do consórcio foi feita sem a realização de licitação. Segundo o extrato de dispensa de licitação publicado pelo Inep, o consórcio será responsável pela "operacionalização de procedimentos relativos ao Enem 2009, conforme condições e especificações contidas no projeto básico". Não há detalhes sobre esse projeto básico.

Já a impressão da nova prova pela gráfica "RR Donnelly Moore" vai custar R$ 31,9 milhões. O contrato do Inep com a gráfica foi publicado no dia 14, no DOU. A gráfica também será responsável pelo manuseio, embalagem, rotulagem e entrega dos cadernos de provas do Enem aos Correios.

As provas tiveram que ser adiadas para os dias 5 e 6 de dezembro, depois que O Estado de S. Paulo revelou que o exame tinha vazado. Cinco pessoas já foram indiciadas pela Polícia Federal.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG