JERUSALÉM ¿ O músico e compositor britânico Paul McCartney, que esta noite realiza um show em Tel Aviv, visitou a cidade cisjordaniana de Belém, onde defendeu a criação de dois Estados para solucionar o conflito entre palestinos e israelenses.

Às vésperas de seu primeiro show em Israel, o eterno beatle visitou na noite de ontem os locais santos da cidade palestina, na qual a tradição acredita ter acontecido o nascimento de Jesus, informou hoje a imprensa local.

Paul McCartney acende velas na Igreja da Natividade, em Belém / AP

Dentro da igreja da Natividade, McCartney acendeu duas velas, gesto que segundo ele disse era "pela paz" e, ao sair do tempo, vários aldeões o interpelaram para que respondesse às críticas de que com sua visita ao Estado judeu legitima a ocupação dos territórios palestinos.

"Estou aqui para chamar a atenção sobre a situação e dizer que o que necessitamos é paz na região. Uma solução de dois Estados", declarou o músico.

Para chegar a Belém McCartney teve que atravessar dois postos de controle israelenses e o muro de concreto armado de até nove metros de altura que cerca a cidade cisjordaniana.

Em 1965 o Governo israelense proibiu os Beatles de se apresentarem no país por considerarem que podiam perverter a juventude do Estado judeu.

O show que o músico fará esta noite no Parque Hayarkon de Tel Aviv foi intitulado "A Amizade Primeiro", apesar de um grupo islâmico e de uma organização palestina terem afirmado que a atuação do britânico apóia a política israelense de ocupação.

Leia mais sobre: Paul McCartney

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.