Mato Grosso prende homem acusado de ser o "Lampião" do século 21

Quadrilha de assaltantes aterrorizava cidades do interior do Estado para roubar os seus bancos

Helson França, iG Mato Grosso |

Com ramificações em vários lugares do País, uma quadrilha especializada no roubo de agências bancárias foi presa em Mato Grosso. O grupo de dez pessoas era chefiado, segundo a polícia, por Sílvio César de Araújo, de 37 anos, conhecido como “Cabelo de Bruxa”.

A polícia batizou Araújo e seu grupo de  “Novo Cangaço”. Assim como o bando do cangaceiro Lampião aterrorizou o Nordeste no começo do século 20, os assaltantes sob o comando de Araújo praticamente fechavam as cidades sob ataque. Esses municípios contam com um número muito pequeno de policiais, o que facilita a ação de grupos como esse.

“Nessas horas não tem força capaz de reprimi-los, pois eles pegavam como reféns os funcionários e clientes do banco, que eram usados como escudo humano”, explica o coordenador da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), o delegado Luciano Inácio. O arsenal do grupo incluia, por exemplo, cinco fuzis AK-47, um dos preferidos pelos traficantes do Rio de Janeiro.

Como eles agiam

Os criminosos chegavam em duas caminhonetes. Encapuzados, vestidos com roupas camufladas semelhantes a do Exército brasileiro e fortemente armados com metralhadoras e fuzis, os assaltantes entravam nos bancos pela frente, após arrebentar a fachada a tiros. Em seguida, faziam todos de refém e roubavam o cofre. A média de duração dos assaltos era de 40 minutos. Na fuga, os reféns eram levados e, no caminho, liberados.

A estimativa da polícia  é de que o bando tenha roubado, em pelo menos três assaltos, cerca de R$ 2 milhões. Desse montante, foram recuperados apenas R$ 14,4 mil.Com a quadrilha, os policiais também apreenderam uma caminhonete L200 Triton, Renault Sandero, Astra, Mercedes, Saveiro, Gol, Fiesta, motocicleta XT 670, todos comprados com o dinheiro dos assaltos, afirmou o delegado.

Em família

De acordo com o delegado Luciano Inácio, Araújo segue os passos do irmão José Maria de Araújo, detido no presídio federal de Mossoró (RN), também por roubos a bancos. Ele foi condenado a mais de 100 anos de prisão.

O pai deles, Divino Marino de Araújo, 68 anos, é apontado como um dos maiores estelionatários de Mato Grosso e, segundo a investigação, era o braço direito do filho.

O delegado Luciano Inácio irá pedir a prisão preventiva dos 10 acusados, que estão presos temporariamente. Eles serão indiciados pelos crimes de roubo, formação de quadrilha, porte ilegal de arma e tentativa de homicídio.

    Leia tudo sobre: Mato Grossoassalto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG