Matheus Nachtergaele será Joãozinho Trinta e José Mojica Marins no cinema

LISBOA ¿ O ator Matheus Nachtergaele disse em entrevista concedida à Agência Efe em Lisboa que interpretará o carnavalesco Joãozinho Trinta e o cineasta José Mojica Marins, criador e intérprete do personagem Zé do Caixão, em dois filmes que serão rodados em 2010.

EFE |

Divulgação

O ator e diretor Matheus Nachtergaele

Nachtergaele, que estreou como diretor no ano passado com o premiado "A Festa da Menina Morta", exibido inclusive no Festival de Cannes, expressou seu desejo de continuar trabalhando na direção.

"Tenho um filme em mente, quero fazer um 'Woyzeck' (peça de teatro escrita por Georg Büchner) com índios brasileiros na reserva de Dourados, no Mato Grosso do Sul", revelou Nachtergaele, que esteve em Lisboa para a quarta Mostra de Cinema Brasileiro.

Escrita no início do século 19, "Woyzeck" ¿ obra que já foi adaptada para o cinema pelo diretor alemão Werner Herzog ¿ é considerada como uma peça que inaugura o estilo expressionista no teatro, já que critica as condições sociais criadas pelo capitalismo. Este aspecto, segundo Nachtergaele, encaixaria na história dos índios sul-americanos, aos quais "tudo foi negado".

Além disso, o ator, que já interpretou o papel do soldado Woyzeck no teatro, revelou que rodar seu primeiro filme em uma comunidade da Amazônia foi uma "decisão política", embora o filme não tenha esse conteúdo.

"Não é diretamente político, mas é um filme sobre essa gente, um filme poético que quer entender quem são essas pessoas", explica Nachtergaele, que escolheu trabalhar com atores locais e contou com a população da região em algumas cenas.

"Acho que a Amazônia é muito pouco conhecida e considero que o cinema é um dos melhores tentáculos que temos para divulgar uma região, um país, para abranger uma realidade", comentou o diretor, para quem o Brasil está "perdendo" a região "pouco a pouco".

Nachtergaele escreveu o roteiro de "A Festa da Menina Morta" depois de assistir a um ritual de uma comunidade da Paraíba, no qual se veneravam os trapos do vestido de uma menina desaparecida, em uma tradição que misturava crença, oração e festa.

No entanto, o diretor e ator decidiu rodar a fita em Barcelos, município a 400 quilômetros de Manaus, onde ainda sobrevive uma significativa comunidade indígena.

"Conheci Barcelos quando estava gravando um filme com (o diretor Herbert) Brödl e soube que queria rodar ali. Era um Brasil que não conhecia, me senti estrangeiro", reconhece Nachtergaele, segundo o qual o único bom filme sobre a região é "Iracema - Uma Transa Amazônica" (1976), de Jorge Bodanzky e Orlando Senna.

"Penso que ('A Festa da Menina Morta') é um filme sobre questões religiosas que almeja refletir o Amazonas", conclui Nachtergaele.

O ator e diretor, que foi homenageado na capital portuguesa, também protagonizará o próximo filme de Claudio Assis ("Amarelo Manga", "Baixio das Bestas"), que se chamará "Febre do Rato" e começará a ser rodado em março de 2010.

Leia mais sobre: Matheus Nachtergaele

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG