Masp muda presidente e estreia sistema de segurança superior ao do Louvre

SÃO PAULO ¿ A um mês do aniversário do furto de duas de suas principais obras, o Masp estreia, na quarta-feira, seu renovado sistema de segurança, avaliado em R$ 1 milhão. Além do novo sistema, o comando do museu também irá mudar. Depois de 14 anos, o arquiteto Julio Neves, de 76 anos, deixa a presidência para dar lugar ao advogado João da Cruz Vicente de Azevedo, de 83 anos.

Redação com Agência Estado |

- Divulgação
Dois quadros foram roubados em dezembro de 2007
O projeto, elaborado e implementado pela divisão brasileira da empresa que equipa o Museu do Louvre (em Paris), a LG Security Sistem, é o sistema mais avançado do mundo em museus, nas palavras da multinacional.

O sistema inclui sensores de movimento e de presença. Ao todo foram instaladas 96 câmeras indestrutíveis de alta definição - as que captam imagens externas têm zoom de 440 vezes e são capazes de mostrar detalhes de uma pessoa a mais de 100 metros de distância.

No interior da instituição, as câmeras são capazes de identificar até um pequeno desalinhamento de um quadro na parede, além de contar com sensores de aproximação das obras - se um visitante ultrapassar a linha demarcada de segurança, uma voz gravada fará o alerta.

Uma das novidades trazidas pela empresa ao Masp é justamente o dispositivo de presença nas câmeras: mesmo que uma pessoa saia do enquadramento das imagens captadas, os vigilantes são avisados na sala de controle que há alguém no local que não está sendo gravado.

Além da sala de controle instalada no museu, outra próxima receberá todos os alertas e imagens. Será um centro de monitoramento reserva, para os casos de eventual invasão da sala blindada de monitoramento.

Nova diretoria

O novo presidente, o advogado João da Cruz Vicente de Azevedo, de 83 anos, foi eleito por unanimidade pelos 41 sócios da instituição que participaram na tarde de ontem de uma assembléia geral.

A mudança, porém, não deixa de ser apenas uma formalidade. Há 12 anos na diretoria da instituição, Azevedo é secretário-geral da última gestão de Julio Neves e foi candidato único nesta eleição.

Esta é a sétima vez consecutiva que não há oposição para a diretoria comandada por Julio Neves. A reportagem pediu para consultar a ata da eleição, mas, segundo a Assessoria de Imprensa, o documento é sigiloso até ser registrado, o que só deve ocorrer em dez dias.

Conhecido por possuir extenso acervo de obras do século 18, com um gosto especial pelo pintor paulista Benedito Calixto, o novo presidente não quis dar entrevistas e disse apenas que vai dar continuidade aos projetos do antecessor - incluindo o início da construção de um anexo em 2009.

Estou aqui há 40 anos e não tenho vontade de deixar o museu, disse Neves, que continuará como conselheiro do Masp. Cumpri a minha palavra de deixar a presidência, mas vou continuar colaborando. Indagado sobre o legado dos seus 14 anos, gabou-se. Vou ficar aqui até amanhã falando das coisas boas que fizemos. Estamos escrevendo até um livro para mostrar tudo isso. Acho que a gente deixa uma marca nacional e internacional do Masp, um legado imenso para as próximas gerações.

Leia mais sobre: Masp

    Leia tudo sobre: masp

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG