Marta volta a apelar a Lula contra novo avanço de Kassab

SÃO PAULO - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva é a principal arma da candidata do PT à Prefeitura de São Paulo, Marta Suplicy, para conter o estreitamento da diferença das intenções de voto em sua candidatura e a do prefeito Gilberto Kassab (DEM). O jornal Folha de São Paulo de hoje divulga nova pesquisa Datafolha em que o prefeito sobe três pontos percentuais e alcança 27%, enquanto Marta estaria com 35%, dois pontos percentuais a menos que na última pesquisa do sábado, e Alckmin, que teria perdido um ponto, estaria hoje com 19%.

Valor Online |

Na simulação de 2º turno, Kassab lideraria com 49% e Marta, com 44%. Os resultados foram antecipados ontem no blog do Noblat.

Na nova propaganda petista, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pede votos para a ex-prefeita e diz que ela está " mais preparada e madura " para governar São Paulo. No vídeo " A candidata de Lula " , o presidente diz que " Marta é a pessoa certa para o momento de São Paulo " .

Marta já se comporta como se estivesse num 2º turno antecipado contra Kassab. Ontem reforçou o tom dos ataques ao candidato à reeleição e disse que o DEM é símbolo do retrocesso político no país.

Em um comício improvisado em São Miguel Paulista, na zona leste da cidade, Marta disse que o partido de Kassab foi " varrido para extinção " em todo o país e que não se deve eleger o partido na cidade. " São Paulo é a maior cidade do país, como vai ter a bandeira do retrocesso do PFL? " , questionou. Marta pediu aos eleitores que não levem os " demos " para o segundo turno. " No Nordeste, vocês repararam que nas eleições passadas os coronéis, o PFL, os ´demos´ foram todos para o espaço? [...]. E eu pergunto: e São Paulo, que nunca elegeu o PFL na vida, os ´demos´, agora vocês acham que a gente pode aceitar isso? " , questionou.

Para Marta, o partido de Kassab foi responsável por décadas de retrocesso no Nordeste, situação que só teria sido revertida com a eleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. " Faça o favor, o Brasil todo varre o partido para a extinção e São Paulo vai eleger agora? "
O presidente nacional do DEM, deputado federal Rodrigo Maia, ironizou as críticas. " Prefiro achar que ela está em um momento de tristeza e ansiedade porque sabe que perderá a eleição no segundo turno para o Kassab " , disse.

Na campanha petista, ganha força a avaliação de que DEM e PSDB estarão unidos para enfrentar a petista no 2º turno, apesar dos atritos entre Kassab e o candidato tucano, Geraldo Alckmin. Vice na chapa de Marta, o deputado Aldo Rebelo (PCdoB), acredita que haverá uma união das forças conservadoras para tentar vencer no 2º turno e disse não ter " ilusão " com a divisão entre os dois partidos. Aldo pediu aos militantes que não " subestimem " os concorrentes.

O secretário-geral do PTB e vice de Alckmin, Campos Machado, negou que haja qualquer negociação entre sua legenda e a campanha petista. Machado divulgou nota para " repudiar, com veemência " a informação.

(Valor Econômico)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG