Marta tem 38% das intenções de voto e lidera pesquisa em SP

SÃO PAULO (Reuters) - A ex-prefeita Marta Suplicy (PT) lidera a disputa pela prefeitura de São Paulo, seguida pelo ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), enquanto o atual prefeito Gilberto Kassab (DEM) está em terceiro, aponta pesquisa Datafolha divulgada neste domingo, data em que tem início a campanha eleitoral. Marta tem 38 por cento das intenções de voto e Alckmin, 31 por cento. Kassab recebeu 13 por cento, seguido pelo ex-prefeito Paulo Maluf (PP), com 8 por cento.

Reuters |

A pesquisa foi realizada entre os dias 3 e 4 de julho e entrevistou 1.085 moradores de São Paulo. A margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Na simulação de segundo turno das eleições, o levantamento mostra que caiu de dez para cinco pontos a vantagem do PSDB sobre o PT. Alckmin e a ex-prefeita estariam tecnicamente empatados num eventual segundo turno, se as eleições fossem hoje --ele teria 50 por cento dos votos e ela, 45 cento.

Na disputa com Kassab, Alckmin venceria com 59 por cento, contra 25 por cento. Entre Marta e Kassab, a petista levaria com 55 por cento e 36 por cento.

Marta tem o melhor desempenho (44 por cento) entre quem tem renda familiar mensal de até dois salários mínimos. Alckmin tem melhor performance entre quem tem renda de dois a cinco salários mínimos, com 34 por cento, similar a quem ganha acima de dez salários mínimos (33 por cento).

De acordo com o Datafolha, depois da aliança entre o PT e o bloco formado PCdoB, PSB e PDT, não é possível comparar a pesquisa atual com as anteriores. Na sondagem realizada em 15 de maio, Marta tinha 30 por cento das intenções de voto, enquanto Alckmin aparecia com 29 por cento e Kassab, 15 por cento.

O instituto também mostra que a aprovação à gestão Kassab entre os paulistanos caiu seis pontos, para 33 por cento, enquanto a avaliação ruim ou péssima subiu na mesma proporção, chegando a 26 por cento. O trânsito é o pior serviço prestado pela prefeitura, com 77 por cento de indicações ruim ou péssimo.

(Reportagem de Carmen Munari)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG