Marinha recebe navio para pesquisa na Antártica

Baixou âncora ontem na base naval do Rio de Janeiro o navio polar Almirante Maximiano, adquirido pelo governo brasileiro para servir de apoio ao interesse científico do País na Antártica. O navio, que já foi um pesqueiro, foi adaptado para operar em águas com gelo por um estaleiro de Bremerhaven, na Alemanha.

Agência Estado |

De acordo com o almirante de Alvaro Luiz Pinto, comandante de Operações Navais, com a incorporação do navio polar o governo vai ampliar as pesquisas científicas na Estação Antártica Comandante Ferraz.

"Só temos um navio lá e é pequeno. Este é maior, com ótimos equipamentos", disse o almirante. "Com essa aquisição, o Brasil ganha condições de atender a comunidade científica no Atlântico Sul e especialmente na Antártica", disse o almirante. Ele lembrou que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu efetuar a compra depois de visitar a base brasileira na região, em fevereiro de 2008. A embarcação, já incorporada à frota da Marinha, mede 93,4 metros, pesa 25 mil toneladas e terá uma tripulação de cerca de 50 homens.

O navio foi construído em 1974, nos Estados Unidos, e foi totalmente reformado em 1988. Com a nova adaptação, passou a ter condições de navegar em áreas com camada de gelo fragmentada de até 40 centímetros. Com a compra, por intermédio de convênio com fundações de pesquisa, o Brasil atende a compromissos internacionais assumidos ao se tornar membro do Tratado Antártico. O barco é equipado para coleta de dados hidroceanográficos e previsão meteorológica. Tem cinco laboratórios de pesquisa, hangar e convés de voo para operar helicópteros e acomodações para 106 pessoas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG