Marinha faz recontagem e confima quinze corpos resgatados em naufrágio no Amazonas

MANAUS - A Marinha realizou uma recontagem na noite deste domingo e confirmou o resgate de 15 corpos de vítimas do naufrágio da embarcação Comandante Sales, ocorrido nesta madrugada. Aproximadamente 100 pessoas estavam a bordo do barco, que afundou nas águas do rio Solimões, a 15 minutos do porto de Manacapuru, cidade que fica a 68 km de Manaus.

Redação com agências |

Mais cedo, levantou-se o número de 16 corpos, mas uma pessoa foi contada duas vezes durante o transporte. Por hoje as buscas foram suspensas e devem ser retomadas na manhã desta segunda.

Segundo o tenente Raimundo Lenilton de Araújo, do 9º Distrito Naval da Marinha, alguns passageiros foram resgatados por outros barcos e outros conseguiram nadar até a margem.

O tenente acredita que a causa do acidente tenha sido a forte chuva da madrugada, que teria formado ondas gigantes no Rio Solimões. Ele informou ainda que a embarcação não chegou a afundar completamente.

Foto:Agência Estado

Embarcação irregular

Em nota divulgada à imprensa , a Marinha afirma que o barco "Comandante Sales" não é inscrito na Capitania dos Portos. Ressalta também que a embarcação foi abordada pela equipe de Inspeção Naval da Capitania dos Portos no dia 19 de janeiro deste ano. Na ocasião, ela foi apreendida por não possuir a documentação exigida e por estar navegando sem tripulação habilitada.

Ainda segundo a Marinha, uma embarcação da Capitania dos Portos chegou ao local do acidente às 12h deste domingo para prestar o apoio necessário.

Um inquérito administrativo será instaurado para apurar as causas do acidente, sob a coordenação da Capitania Fluvial da Amazônia Ocidental. Ela terá 90 dias para concluir as investigações. O prazo pode ser prorrogado por até um ano.

O acidente

O acidente com o barco Comandante Sales ocorreu por volta de 5h30 da manhã. Os passageiros da embarcação retornavam de uma festa realizada na comunidade "Pesqueiro", em frente à cidade de Manacapuru, do outro lado do rio Solimões.

O Corpo de Bombeiros informou ainda que 15 mergulhadores e mais 40 homens da corporação participam da operação de resgate das vítimas. Pelas condições do rio, o trabalho pode durar mais dois ou três dias, de acordo com o sargento Marimar.

'O rio é largo e turvo, o que dificulta as operações, que podem se estender por mais dois ou três dias pelo menos', disse.


Exibir mapa ampliado



"O barco estava vindo de uma comunidade do interior com destino a Manacapuru. Em certas épocas, eles vão ao interior para as festas, e na hora de voltar se amontoam todos em qualquer barco que aparece, que costumam não registrar as pessoas que entram", afirmou à Reuters por telefone o sargento Marimar.

Esse é o segundo naufrágio em rios amazônicos neste ano. Em fevereiro, a embarcação Almirante Monteiro  afundou após o choque com a balsa Carlos Eduardo, que transportava combustíveis e se deslocava para o município de Itacoatiara, a cerca de 170 quilômetros de Manaus.

(*Com informações da Reuters, Agência Estado e Agência Brasil)

Leia mais sobre: naufrágio

    Leia tudo sobre: naufrágio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG