Marinha diz que barco que afundou estava apreendido

O Comando do 9º Distrito Naval da Marinha do Brasil divulgou uma nota na tarde deste domingo sobre o naufrágio do barco Comandante Sales no Rio Solimões, na região de Manacapuru, a cerca de 80 quilômetros de Manaus, no Amazonas, que deixou vários mortos nesta madrugada. De acordo com a Marinha, a embarcação não é inscrita na Capitania dos Portos e foi abordada pela equipe de Inspeção Naval da Capitania dos Portos no dia 19 de janeiro, em Manacapuru, tendo sido apreendida por não possuir a documentação exigida, além de estar navegando sem tripulação habilitada.

Agência Estado |

Ainda segundo a Marinha, o barco "não deveria estar em operação na ocasião do acidente, por estar apreendido. No dia da apreensão, o dono da embarcação, Francisco Alves de Sales, foi intimado a comparecer à Capitania dos Portos em Manaus, "a fim de apresentar sua defesa prévia e a documentação necessária para regularizar a situação da referida embarcação, o que não ocorreu até a presente data".

Segue a íntegra da nota:

Participamos a todos que hoje, 04 de maio de 2008, às 07h40, a Capitania Fluvial da Amazônia Ocidental, com sede nesta cidade, tomou conhecimento de um acidente da navegação, supostamente ocorrido às 05h45 de hoje, envolvendo a embarcação "Comandante Sales", que emborcou nas proximidades da cidade de Manacapuru, na margem esquerda do Rio Solimões, a cerca de 90 km de Manaus.

A embarcação "Comandante Sales" não é inscrita na Capitania dos Portos e foi abordada pela equipe de Inspeção Naval da Capitania dos Portos no dia 19 de janeiro do corrente ano, em Manacapuru, tendo sido apreendida por não possuir a documentação exigida, além de estar navegando sem tripulação habilitada. Foi designado como Fiel Depositário o Sr. Francisco Alves de Sales, proprietário da embarcação.

Naturalmente, esta embarcação não deveria estar em operação na ocasião do acidente, por estar apreendida. Na ocasião, conforme preconiza uma Norma da Autoridade Marítima, o proprietário foi instado a comparecer à Capitania dos Portos em Manaus, a fim de apresentar sua defesa prévia e a documentação necessária para regularizar a situação da referida embarcação, o que não ocorreu até a presente data.

É importante esclarecer que a capacidade de carga e de passageiros de uma embarcação é definida por meio de uma vistoria por pessoal qualificado da Capitania dos Portos, em decorrência do processo de regularização apresentado pelo respectivo proprietário.

As informações iniciais são que a embarcação "Comandante Sales" estava se deslocando para Manacapuru após uma festa ocorrida na localidade Lago Pesqueiro e, após um "banzeiro", emborcou nas proximidades da citada cidade. As estimativas iniciais dão conta que cerca de 80 pessoas estavam embarcadas. As quantidades de pessoas embarcadas, feridos e vítimas fatais deste acidente ainda necessitam ser confirmadas.

O Comando do 9º Distrito Naval determinou a ativação de um plano de busca e resgate com vistas a socorrer as vítimas do acidente. A Capitania dos Portos enviou uma embarcação que chegou ao local do acidente às 12h00 de hoje, para prestar o apoio inicial necessário. O Navio-Patrulha Fluvial "Amapá" também está se deslocando para o local do acidente, devendo chegar até o final da tarde de hoje. Um helicóptero da Marinha do Brasil decolou de Manaus para o local do acidente no início da tarde de hoje, a fim de participar das ações de resgate das vítimas.

Um inquérito administrativo será instaurado para apurar este acidente, sob a coordenação da Capitania Fluvial da Amazônia Ocidental, que terá o prazo inicial de 90 (noventa) dias para ser concluído, podendo ser prorrogado por até 1 (um) ano.

Por fim, a Marinha do Brasil assegura estar envidando todos os esforços possíveis para resgatar as pessoas desaparecidas.

    Leia tudo sobre: amazonasmanausnaufrágio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG