Marina Silva entra no debate e diz que PAC tem visão equivocada

RIO DE JANEIRO - A pré-candidata do PV à sucessão presidencial, senadora Marina Silva (AC), entrou no debate sobre o futuro do PAC no próximo governo ao afirmar que o principal programa de infraestrutura da gestão Lula tem um visão equivocada e que as obras não se preocupam devidamente com o impacto social e ambiental.

Reuters |

"O programas tem um visão equivocada. É a visão da aceleração pela aceleração. Precisamos dos investimentos em infraestrutura, mas ele pode ser feito de forma cuidadosa com as questões sociais e ambientais", disse a senadora a jornalistas nessa sexta-feira no Rio onde gravou o programa eleitoral do partido no rádio e na TV que vai ao ar em 4 de fevereiro.

Marina não falou em acabar com o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), como defendeu o presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), o que provocou a ira da base governista.

Ela avalia, no entanto, que falta uma visão estratégica e nacional ao programa de aceleração do crescimento.

"Tem que se pensar a infraestrutura do país de forma mais estratégica. Não se trata apenas de ter investimentos fragmentados. É preciso ter um olhar mais integrado para o programa", declarou.

Para Marina, a troca de farpas entre situação e oposição em torno do PAC demonstra que a campanha eleitoral já começou, embora ela só se inicie oficialmente em julho. Segundo a senadora, foi o próprio governo que decidiu antecipar a campanha em uma tentativa de dar mais visibilidade à candidatura da ministra Dilma Roussef (PT).

"Houve um antecipação e fica difícil para os demais não se colocarem na pré-campanha. Quando alguém não pode exigir que os demais fiquem sentados", disse.

O programa eleitoral do PV vai expor a biografia de Marina Silva com o objetivo de torná-la mais conhecida do eleitorado. Outro tema será a educação.

Marina não cede Gabeira

Marina disse que não pretende dividir o deputado Fernando Gabeira (PV-RJ) com José Serra (PSDB-SP), provável candidato da oposição à sucessão presidencial, que vem tentando ter um palanque no Estado do Rio.

"Dividir com Serra de jeito nenhum. Sou possessiva", disse Marina ao lado de Gabeira.

Gabeira confirmou que será candidato ao governo do Estado pelo PV e terá um representante do PSDB como seu vice. O deputado evitou deixar claro quem abrigará no palanque.

"Essa negociação (com Serra) está sendo concluída para saber como será meu comportamento. Meu trabalho será trabalhar mais minha candidatura", declarou.

"Se o modelo for o mesmo usado no Acre, por exemplo, o candidato a governador fala do seu candidato a presidente e o vice do seu candidato", sugeriu.

Gabeira vai representar uma coligação formada por PV, PSDB, PPS e DEM.

Leia mais sobre: Eleições 2010

    Leia tudo sobre: eleições 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG