Marina Silva compara perda de Zilda Arns à de Chico Mendes

A senadora Marina Silva (PV-AC), pré-candidata do PV à Presidência da República, comparou a perda da médica sanitarista e fundadora da Pastoral da Criança, Zilda Arns, à morte do sindicalista, ativista ambiental e líder dos seringueiros Chico Mendes, em 1988. Quando nós perdemos o Chico Mendes no Acre, num determinado momento havia uma sensação de desamparo, quem vai fazer o que ele fazia? Nesse momento, com a perda da Dra. Zilda, nós sentimos essa mesma sensação, afirmou a senadora, que esteve na manhã deste sábado no velório da médica, no Palácio das Araucárias, em Curitiba.

Agência Estado |

"A resposta que demos lá no Acre é que todos nós tínhamos que começar a fazer o que ele fazia, não com a estatura, grandeza, destreza que ele tinha, mas da nossa forma pequena de fazer, do nosso tamanho. Se todos fizerem a sua parte quem sabe a gente alcance o tamanho dela", acrescentou.

Para Marina, Zilda Arns deixa uma lição. "Ela deixa a lição de alguém que foi capaz de viver o Evangelho", afirmou. "Ela foi fazendo aquilo em que acreditava, defendendo os pobres, buscando a solidariedade, dentro de uma igreja. Que forma melhor se tem de dar a vida pelos amigos, como mandou Jesus?", opinou.

Marina é a terceira presidenciável a comparecer ao velório de Zilda Arns. Ontem, passaram pelo Palácio das Araucárias o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), e a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT), que acompanhou o Presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Também estiveram nesta manhã no velório de Zilda Arns o ex-governador do Paraná Jaime Lerner e o ex-prefeito de Curitiba e deputado federal, Cassio Taniguchi (DEM-PR).

Veja também:

Leia mais sobre terremoto

    Leia tudo sobre: haiti

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG