Marina Silva assina termo de filiação ao PV em SP

Por Alberto Alerigi Jr. SÃO PAULO (Reuters) - A senadora Marina Silva (AC) assinou neste domingo termo de filiação ao Partido Verde em meio a gritos de Marina presidente e com promessa de trabalhar pelo desenvolvimento sustentável e de reforma da legenda.

Reuters |

A senadora, que falou por cerca de meia hora a uma multidão de membros do partido e simpatizantes, lembrou Chico Mendes, ambientalista assassinado no final da década de 80, e figuras como Martin Luther King e Nelson Mandela.

Em uma fala que tirou lágrimas e aplausos em vários momentos, Marina afirmou: "O PV, ao dispor a fazer uma revisão no seu programa e em sua estrutura partidária, me moveu para esse desafio (deixar o PT após 30 anos de militância para se juntar ao partido)".

"Todos os partidos não podem se furtar a esse desafio da sustentabilidade. Estamos crentes que a velha política de se fazer as coisas para as pessoas precisa mudar para uma política com as pessoas".

Participaram do ato de filiação da senadora os principais nomes da legenda, como o deputado federal Fernando Gabeira (RJ), o presidente do PV no Rio de Janeiro, Alfredo Sirkis, e também figuras do movimento ambientalista, como a filha de Chico Mendes, Elenira Mendes.

A senadora, ao justificar sua saída do PT e sua entrada no PV, recheou o discurso com trechos de escritores como Guimarães Rosa e Santo Agostinho. "Estou saindo para fazer outra casa, mas para morar na mesma rua... Não é errado ter diferentes interesses. Nós precisamos de lideranças multicêntricas para questões multicêntricas".

Antes do discurso de Marina, Gabeira afirmou que o objetivo estratégico do partido é trabalhar a redução das emissões de carbono, mas que a legenda vai trabalhar em outros temas relacionados como violência urbana, ética na política e geração sustentável de energia.

Rebatendo críticas recebidas pelo partido nas últimas semanas por conta de apoios à oposição e ao governo, Gabeira disse que "em 2002 chegamos apoiando o PT com a bandeira da ética na política, e hoje temos um governo moralmente frouxo e um congresso apodrecido".

O deputado federal, um dos principais expoentes do PV, reforçou promessas da legenda de mudanças em seus quadros. "Não tem sentido ter em nosso partido pessoas que não são comprometidas com nosso programa".

A senadora encerrou seu discurso sem afirmar se será candidata ou não às eleições presidenciais de 2010.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG