Marina: reforma colocaria política nos trilhos da ética

A pré-candidata do PV à Presidência da República, senadora Marina Silva (AC), criticou hoje a declaração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que na noite anterior havia reclamado da subordinação à Justiça Eleitoral. Marina disse que viu com preocupação a afirmação do presidente e observou que a reforma política que precisa ser feita não é para colocar os políticos acima da Justiça e sim para colocar a política nos trilhos da Justiça e da ética.

Agência Estado |

No encontro com o PCdoB, na noite de ontem, Lula disse que ninguém pode ficar esperando mudanças na lei e afirmou que fará "campanha na rua" para a pré-candidata petista, Dilma Rousseff. "Não podemos ficar subordinados, a cada eleição, ao juiz que diz o que a gente pode ou não fazer", afirmou o presidente.

"Li com preocupação o que foi dito. Porque no meu entendimento a necessária reforma política que nós precisamos fazer não é para colocar os políticos acima da Justiça. Aliás, é para ajudar a colocar a política nos trilhos da Justiça, da justiça social e principalmente da ética, que, em função da ausência da reforma política, os partidos viraram máquinas de ganhar a eleição", destacou a pré-candidata do PV, citando o Congresso Nacional, "aonde a governabilidade, na maioria das vezes, acontece por pactos fisiológicos e não por identidade programática".

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG