A candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, criticou nesta sexta-feira a saída de Ciro Gomes (PSB) da disputa pelo Palácio do Planalto. A senadora usou o Twitter para divulgar um texto com o título ¿A saída de Ciro e o retrocesso democrático¿.

Marina insinuou que o PT e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva estejam por trás das articulações que fizeram o PSB, partido de Ciro, a retirá-lo da corrida eleitoral. Classificando a ação como processo perverso, a senadora afirma que ação visou manipular o direito de escolha do eleitor pela redução forçada do leque de opções.

Assistimos agora, com o veto à candidatura de Ciro Gomes, a uma expressão exemplar desse tipo de intolerância democrática. É fácil prever que os mesmos grupos que trabalharam para tirar Ciro da disputa presidencial tentarão agora assimilá-lo, disse Marina, no texto publicado no site www.minhamarina.org.br .

Em outra crítica indireta a Lula e ao PT, Marina chamou de antidemocráticos aqueles que trabalharam para tirar Ciro da disputa eleitoral.

Os que costumam agir dessa maneira são aqueles que têm dificuldade em transformar a visão democrática em ação e não admitem a alternância de poder, afirmou. Primeiro, buscam eliminar os adversários que querem disputar legitimamente a preferência dos eleitores, completou.

Marina conclui o texto chamando de hospedeiro os que desejam herdar os votos de Ciro. Depois, tentam se colocar como o único hospedeiro possível para que os expurgados consigam sobreviver na vida pública, disse.

Aquele que foi empurrado para fora do processo passa então a ser apontado como bom companheiro, patriota, desde que aceite ser assimilado por aqueles que articularam o seu expurgo. Perde o país, perde a democracia, completou a candidata.

Repercussão

Leia também:

  • Veja o que Ciro Gomes divulgou em nota sobre sua candidatura
  • Dilma vai à sede do governo e nega encontro com cúpula do PSB

    • Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.