A senadora e pré-candidata do PV à presidência, Marina Silva (PV), concluiu hoje de maneira tímida sua agenda política no Rio. Numa sala fechada e com a presença de poucos políticos e militares, ela participou do encerramento da 1ª Semana de Educação Ambiental do Forte de Copacabana.

Ao se dirigir à área de exposição histórica da instalação militar, Marina passou por centenas de visitantes e chegou a ser reconhecida. No entanto, cercada pelo comandante da unidade, coronel Edson Silva de Oliveira, e pelo presidente regional do PV, o vereador Alfredo Sirkis, a senadora não entrou em contato com nenhum dos potenciais eleitores que estavam no local.

O início da pré-campanha da senadora foi anunciado por Sirkis, na sexta-feira, após ela receber homenagens das câmaras municipais de São Gonçalo e Niterói. Os compromissos da senadora no Rio foram discretos. Nem o pré-candidato do partido ao governo, o deputado federal Fernando Gabeira, acompanhou sua peregrinação pelo Estado.

Os dois ficaram juntos apenas hoje durante a cerimônia de encerramento do evento. O deputado não acompanhou Marina na área de exposições. Além das solenidades, ela também participou de debate restrito sobre energia, na quinta-feira, e de evento fechado do PV no sábado.

Marina disse que manterá a discrição durante a pré-campanha e voltou a fazer críticas ao uso da máquina do Estado no período. "Tem uma linha muito tênue em tudo isso. Não quero fazer juízo de valor, mas a separação entre a legítima atividade do gestor e a mobilização já pensando em campanha, cria desequilíbrio na disputa. Há uma percepção clara de excessos. No meu caso, serei sempre discreta e cuidadosa", afirmou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.