Marcelo Yuka faz documentário sobre sua vida

Após sofrer mais uma agressão, no último sábado, o ex-baterista da banda carioca O Rappa, Marcelo Fontes do Nascimento, o Marcelo Yuka, pensou: “Vou morrer e o último capítulo da minha biografia e a última cena do meu documentário será essa.” Depois de ser baleado em 9 de novembro de 2000 e ter ficado paraplégico, o músico voltou a ser agredido por ladrões, mas não pretende se mudar da Tijuca, bairro onde mora e onde foi assaltando três vezes nos últimos dez anos.

Agência Estado |

Um documentário sobre sua vida está sendo produzido pela jornalista e cineasta paulista Daniela Broitman, que está acompanhando a seu dia-a-dia.

“A câmera fica atrás de mim o tempo todo. Está até chato”, brincou em entrevista à imprensa, ontem. Já a biografia está sendo escrita pelo empresário Bruno Levinson, organizador do festival carioca Humaitá Prá Peixe. Ambos os projetos ainda estão em fase de produção e não têm data para lançamento.

O último assalto com Yuka aconteceu sábado, em frente a uma padaria na Rua Uruguai, bem próximo ao local onde ele foi baleado em 9 de novembro de 2000, após tentar ajudar uma mulher. Na época, levou três tiros e uma das balas acertou a sua coluna, deixando-o paraplégico. “Em última análise, o culpado não foi a pessoa que puxou o gatinho e sim o sistema econômico. Essa bala não atingiu só a mim e vai continuar atingindo as gerações futuras”, disse ontem, durante o programa Estúdio i , na Globo News. Em entrevista coletiva, o músico afirmou ontem que vai continuar com suas atividades. “Quero do governo o que o governo deveria dar para todos: segurança, independentemente do IPTU que eu pague.” As informações são do Jornal da Tarde .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG