BRASÍLIA - Durante a reunião do Conselho Político, formado pelos líderes e presidentes dos partidos aliados ao governo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu um pedido do ministro da Fazenda, Guido Mantega, para que ele vete o projeto de Lei que amplia de quatro para seis meses a licença maternidade. Mantega argumentou que a União não pode arcar com os R$ 800 milhões que deixarão de ser recolhidos pelo Estado com a implementação da nova Lei.

Pelo texto, as empresas poderão optar por conceder o benefício. Aquelas que concedem a licença de seis meses ganham um selo de empresa cidadã e podem abater de seus impostos os valores gastos com os dois meses a mais.

Ainda não há uma definição sobre o destino da licença maternidade, uma vez que o Planalto não fechou a questão e há divergências entre os ministros. Nos próximos dias Lula deve se reunir com Mantega e o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, para definir a questão.

Leia mais sobre: Licença maternidade

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.