Manifestantes protestam contra Mendes; ministro diz não se importar

BRASÍLIA - O presidente Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, afirmou nesta quarta-feira que não se importa com manifestações contrárias a sua permanência na Suprema Corte. Segundo Mendes, movimentos de protesto fazem parte da Democracia.

Carol Pires |

Na noite desta quarta-feira, um grupo de manifestantes deve se reunir em frente à Praça dos Três Poderes, na Esplanada dos Ministérios, para protestar contra a postura do ministro frente à Corte. O movimento se chama Gilmar saia às ruas e não volte ao STF, em alusão ao comentário do ministro Joaquim Barbosa, que no mês passado acusou Gilmar Mendes de destruir a imagem do Judiciário, e o convidou a sair às ruas para conhecer a opinião da sociedade.

Questionado se não estaria incomodado com tais protestos, Gilmar Mendes disse que não se aborrecia com as manifestações. Eu vejo com grande naturalidade qualquer manifestação. Foi o STF numa decisão da qual eu participei que afirmou que era livre o protesto na Praça dos Três Poderes, observou.  

Após o bate-boca entre os ministros Gilmar Mendes e Joaquim Barbosa durante uma sessão plenária no STF, no final do mês passado, alguns alunos e ex-alunos da Universidade de Brasília (UnB) estiveram na frente do tribunal em protesto contra Mendes.  

Na ocasião, eles tentaram colocar uma faixa com os dizeres Miss Capanga, na estátua que simboliza a Justiça, mas foram impedidos por seguranças do STF. Algumas faixas do movimento Gilmar saia as ruas, já estão postadas no gramado da Esplanada dos Ministérios. A equipe de segurança do Supremo também foi acionada, e reforçou a vigilância na Praça dos Três Poderes.

Leia mais sobre: STF - Gilmar Mendes

    Leia tudo sobre: stf

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG