Maníaco nega crime e MP quer condenar jovens libertados

O Ministério Público Estadual (MPE) decidiu pedir a condenação dos três rapazes acusados de matar Vanessa Batista de Freitas, de 22 anos, em agosto de 2006. Renato Correia de Brito, de 24 anos, William César de Brito Silva, de 28, e Wagner Conceição da Silva, de 25, começaram a ser julgados ontem no Tribunal do Júri de Guarulhos, na Grande São Paulo.

Agência Estado |

Eles foram presos logo após o crime, mas acabaram soltos em setembro deste ano, depois que Leandro Basílio Rodrigues, apelidado pela polícia de Maníaco de Guarulhos, confessou o homicídio.

Na ocasião, diante das suspeitas de que os três haviam sido torturados para confessar o assassinato, o então promotor do caso, Marcelo Alexandre de Oliveira, se manifestou pela soltura dos envolvidos. O depoimento mais aguardado do dia era o de Rodrigues. Diante das frágeis provas do processo, a banca de acusação esperava que ele repetisse perante os sete jurados o que havia dito em seu último interrogatório à Justiça. Respondendo às perguntas do juiz Leandro Jorge Bittencourt Cano, Rodrigues voltou a dizer que confessou sob tortura.

“Colocaram uma sacola no meu rosto, me bateram e fizeram ameaças”, reafirmou. Os autores da suposta agressão, segundo ele, seriam o delegado Jackson César Batista e os investigadores Diniz (na verdade, ele estaria se referindo a Ademir) e Dantas, do Setor de Homicídios de Guarulhos. Ele não soube dizer porque os policiais teriam lhe atribuído um crime que já estava solucionado. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG