"Maníaco de Contagem" nega estupro e diz que vítima o agrediu

Marcos Antunes Trigueiro diz que vítima "aceitou" fazer sexo com ele. Acusado é julgado por homicídio e estupro em Minas Gerais

iG São Paulo |

Futura Press
Marcos Antunes Trigueiro, no banco dos réusdo Fórum de Lafayette
O pintor Marcos Antunes Trigueiro, de 32 anos, conhecido como "maníaco de Contagem", negou nesta quarta-feira durante julgamento em Minas Gerais que tenha estuprado e matado a empresária Ana Carolina Assunção, de 27 anos, em abril de 2009. De acordo com a assessoria do Fórum Lafayette, Trigueiro disse ao juiz Carlos Henrique Perpétuo Braga, presidente do 1º Tribunal do Júri, que propôs à vítima fazer sexo e ela aceitou.

No entanto, Trigueiro disse que depois ela começou a agredí-lo. O reú afirmou também que não teve a intenção de matar Ana Carolina e não sabe o que aconteceu. Além de estupro, ele é acusado de homicício triplamente qualificado por motivo torpe, meio cruel (asfixia), impossibilidade de defesa da vítima e para assegurar a execução, ocultação, impunidade ou vantagem de outro crime.

Segundo o Tribunal de Justiça, o julgamento começou por volta das 9h e acusação e defesa dispensaram todas as testemunhas. O interrogatório do reú começou por volta das 10h20 e durou pouco mais de 1h. O promotor de acusação Paulo Romero já fez a sua argumentação e, à tarde, será a vez do avdogado de defesa Rodrigo Bizzotto.

O crime

Ana Carolina Assunção foi encontrada estrangulada dentro do próprio carro no dia 16 de abril de 2009 no bairro Industrial, em Contagem (MG). O crime chocou os mineiros, pois, além da violenta morte, o filho da empresária, de apenas um ano, foi deixado ao lado do corpo da mãe.

Segundo a polícia, Trigueiro teria simulado um assalto para entrar no veículo. Ele mandou a empresária conduzir o carro para outro local, onde ela foi abusada e morta. Conforme a assessoria do TJ, o reú disse que o bebê foi colocado no banco da frente do carro pela própria vítima para que os dois pudessem fazer sexo no banco de trás.

Outros casos

Trigueiro, que desde de fevereiro está preso na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, é acusado de outros três estupros seguidos de morte na cidade. No dia 17 de setembro de 2009, Maria Helena Aguilar, de 49 anos, foi encontrada estrangulada dentro de seu carro. Em 11 de novembro último, a contadora Edna Cordeiro de Oliveira Freitas, de 35 anos, foi morta.

Exames realizados com o esperma encontrado nos corpos das vítimas comprovaram que eles pertenciam ao mesmo homem. À época do crime, Layanne Cordeiro de Freitas, de 15 anos, filha de Edna, conversou com o iG e disse que o maníaco sempre buscava mulheres bonitas e bem sucedidas .

Trigueiro já foi denunciado pela morte de Maria Helena, mas o julgamento ainda não foi marcado. Outras duas mortes com características semelhantes e sinais de estrangulamento também são investigadas pela polícia para saber se foram cometidas pelo pintor. São elas: Adina Feitor Porto, 34 anos, comerciante, assassinada em janeiro 2009, em Belo Horizonte, e da estudante de direito Natália Cristina de Almeida Paiva, de 27 anos, morta em outubro de 2009.

    Leia tudo sobre: maníaco de Contagemestuprosassassinatos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG