O ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos, Mangabeira Unger, defendeu hoje a regulamentação por meio de lei das operações das Forças Armadas no combate à violência, como acontecerá no Rio de Janeiro durante as eleições. Força Armada não é polícia, existe para defender o Brasil, afirmou o ministro.

Ele lembrou que "operações em garantia da lei e da ordem fazem parte das missões constitucionais das Forças Armadas", mas alertou que é preciso deixar claro o foco, principalmente do Exército, nesse tipo de operação. "É necessário regulamentar de maneira mais precisa e ter a clareza no foco da defesa e não do policiamento", afirmou Mangabeira que, no entanto, preferiu não dar opinião específica sobre o caso do Rio de Janeiro.

O ministro esteve no 1º Distrito Naval para uma reunião com oficiais do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, para discutir a Estratégia Nacional de Defesa, plano que será apresentado por ele e pelo ministro da Defesa, Nelson Jobim, ao presidente Lula. Entre outros pontos, Mangabeira defendeu incentivos tributários para empresas privadas que atuam no setor de defesa e uma ampla reestruturação das empresas estatais desta área. O ministro também lançou a idéia de um serviço social obrigatório para homens e mulheres jovens, que funcionaria paralelo ao serviço militar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.