Publicidade
Publicidade - Super banner
Brasil
enhanced by Google
 

Manchas são as primeiras consequências do pós-sol

Manchas são as primeiras consequências do pós-sol Por Marcela Rodrigues Silva São Paulo, 25 (AE) - As manchas de pele, principalmente as do tipo melasma (cor de café com leite, comum na gravidez), são as primeiras e mais indesejadas consequências do pós-sol. As já existentes também podem ser agravadas, diz a dermatologista Denise Stenier.

Agência Estado |

O tratamento inclui produtos à base de agentes clareadores, como a hidroquinona, ácido retinóico, vitamina C e isoflavona. "A orientação médica é fundamental, pois alguns produtos atuam como medicamento. Outra regra é reforçar o filtro solar, o dia todo, com reaplicação a cada duas horas", ensina Denise.

A alta temperatura aumenta a produção de sebo na pele causando outro incômodo, a acne solar. Até o uso do filtro, segundo especialistas, potencializa o problema. A prevenção é lavar o rosto diariamente com sabonetes adstringentes e evitar produtos oleosos. Cremes à base de ácidos, como o glicólico, ou até mesmo antibióticos, fazem parte do tratamento. Se nos dois casos as soluções citadas não forem o suficiente, entram em cena sessões de peeling - de diversas substâncias, entre R$ 200 e 400; e o laser de luz pulsada ou fracionado, cujo preço oscila entre R$ 400 e 500. Ambos precisam de indicação médica.

CORPO - O bronzeado até confere um ar saudável à aparência, mas algumas semanas depois o resultado é uma pele desbotada, ressecada, sem brilho e manchada. A ordem é hidratar. O ressecamento pode trazer o aparecimento de manchas esbranquiçadas e escamação na pele em áreas que foram muito expostas, como braço, pernas e colo. Neste período, além de hidratação com óleos e cremes de hidratação profunda, é necessário evitar banhos quentes. Se a pele estiver muito danificada e queimada, também é preciso esperar um pouco para investir nos esfoliantes.

Calcanhar, pés e cotovelos ficam especialmente ressecados - são regiões mais expostas aos vilões do verão, além do atrito com roupas e sapatos. "Os cremes à base de ureia e os mais consistentes são indicados para estas regiões. Outra dica é, após aplicar o creme nos pés, protegê-los com meias e sapatos mais fechados", aconselha a dermatologista Carolina Ferolla, da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Nem mesmo as unhas escapam. "A areia, cloro e sal agridem as unhas, que também merecem hidratação. O óleo corporal deve ser estendido para estas áreas, pois penetram mais que os cremes."

CABELO - "O raio ultravioleta rompe a cutícula, a capinha do fio do cabelo, possibilitando uma agressão mais aguda pelo sol e o calor", explica Denise Steiner. "O excesso de proteção também danifica os fios. Os resíduos dos cremes se acumulam como o cloro e o sal, deixando um aspecto pesado", completa Maria Fernanda Gavazoni, especialista em cabelos da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

As dermatologistas aconselham que as hidratações, como a cauterização, sejam realizadas em salões especializados, mas garantem que a manutenção pode ser feita em casa. É preciso investir em máscaras e ampolas que "colem" as cutículas. Ao adquirir, verifique no rótulo se a composição inclui silicone, vitamina C, ceramidas ou hidrolisados do leite. "Lave o cabelo com xampu anti-resíduo, uma vez por semana, para retirar os vestígios de outras substâncias. Aplique da raiz às pontas, deixe alguns minutos e enxágue", ensina Maria Fernanda. Não é possível, porém, recuperar 100% as madeixas danificadas. "Neste caso é melhor cortar", diz Carolina Ferolla.

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG