SÃO PAULO ¿ É a fotografia a grande estrela das exposições que serão inauguradas esta semana como parte do Ano da França no Brasil. O Museu de Arte Moderna (MAM) de São Paulo abre hoje à noite, para convidados, e amanhã, para o público, a exposição Olhar e Fingir: Fotografias da Coleção M+M Auer, com curadoria da historiadora francesa Elise Jasmin e do crítico e jornalista brasileiro Eder Chiodetto.

A mostra reúne quase 300 imagens pertencentes ao acervo do casal francês Michel e Michèle Auer, considerado um dos mais importantes e amplos (com dezenas de milhares de imagens, livros, revistas e álbuns de artistas) da França.

Por meio das obras, é possível perpassar a história do gênero fotográfico, desde o marco de 1839 até a atualidade. Mas, mais do que isso, a mostra faz uma leitura transversal de todo o período, instigando no visitante o olhar para todo tipo de experimentações promovidas por criadores de várias épocas e lugares e abrindo as portas para o exercício da imaginação e encantamento através da fotografia.

Ao entrarmos em contato com a coleção, percebemos o fio condutor de um imaginário transgressivo, quase nada de foto documental, mas um caráter experimental de criadores que vão até o limite, define Chiodetto. Há cerca de um ano e meio ele e Elise começaram a se dedicar ao projeto de fazer uma exposição no MAM a partir da coleção do casal Auer. Eles começaram a aquisição de fotos na década de 1960, antes das instituições, diz Elise.

Curiosamente, ainda não sendo um casal, Michel deu vazão ao colecionismo adquirindo, primeiro, câmeras fotográficas, e Michèle, louças chinesas. Quando se conheceram, cada um a seu modo colecionava fotografias até que, enfim, decidiram unir seus acervos e continuarem ainda mais a coleção.

Outras exposições

A partir de agora, as atividades do Ano da França no Brasil vão se intensificar mais e mais, em todo o País. Em Curitiba, por exemplo, Robert Doisneau é o contemplado, com a reunião das imagens poéticas que fez quando contratado por uma grande empresa de carros da França. Em Ouro Preto, as obras da coleção do casal franco-brasileiro Jacques e Maria Helena Boulieu foram reunidas em mostra, como primeiro passo para a criação de um museu com obras de arte religiosa.

Em torno ainda da fotografia, o Instituto Moreira Salles inaugura amanhã para convidados e na sexta para o público a mostra "O Louvre e Seus Visitantes", com seleção de retratos feitos durante 39 anos pelo brasileiro Alécio de Andrade em passagens pelo maior museu do mundo.

Mais Paris: no Instituto Carrefour, Walter Firmo exibe 15 fotos com flagrantes da capital francesa. E a Pinacoteca de São Paulo, que já abriga "Fernand Léger: Amizades e Relações Brasileiras", abre no sábado "À Procura de Um Olhar", com quase 200 imagens realizadas entre 1937 e 2008 tanto por fotógrafos de origem francesa quanto por brasileiros. Há também espaço para a videoarte: no Museu da Imagem e do Som (MIS) e no Paço das Artes, Entre-Temps traz vídeos do acervo do Museu de Arte Moderna da cidade de Paris.

Leia mais sobre: França

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.