Maioria dos usuários desconhece sistema que permite monitorar o tempo de espera nas paradas de ônibus

SÃO PAULO ¿ Desde a última segunda-feira, alguns pontos de ônibus da cidade de São Paulo contam com painéis eletrônicos que informam o número e o nome da linha e permitem aos usuários saber quanto tempo vai demorar para o ônibus chegar. Segundo a SP Trans, os monitores já foram colocados em 16 terminais e em cinco corredores exclusivo.

Lecticia Maggi, repórter Último Segundo |

Seis dias após o início do novo monitoramento, o Último Segundo foi às ruas para saber se os painéis realmente estão funcionando e o que as pessoas acham da novidade. Conclusão: maioria dos usuários desconhece o sistema.

Não olhei. O painel mostra o tempo que vai demorar? Bom saber, disse Maria das Dores da Silva, de 33 anos, lactarista, que não foi a única a ignorar a presença de um painel no corredor de ônibus na avenida Rebouças, na altura da avenida Brigadeiro Faria Lima, zona sul da cidade.

No local, poucos usuários notaram o monitor. Não prestei atenção. Procuro olhar mais para os ônibus, afirmou o vigilante Eliseu Reis, de 41 anos. Não estou olhando. Só tem um ônibus que posso pegar aqui e ele demora, completou Jonas Franscisco, de 67 anos.

Havia ainda aqueles que sabiam da presença do novo informativo, mas estavam descrentes quanto a sua eficácia. Nem olhei meu ônibus. Pelo trânsito que tem em São Paulo é impossível cronometrar o tempo que vai demorar, acredita a secretária Rosi Barros, de 40 anos.

Os poucos que se animaram a tentar utilizar o novo aparelho, porém, obtiveram sucesso naquele ponto de ônibus. Foi o caso do aposentado Paulo Fidélis de Sousa, de 58 anos. Marquei que em 13 minutos chegaria o ônibus. Então, até as 11h30 ele tem que estar aqui, contou. Às 11h28, dois minutos antes do horário previsto, Souza embarcou feliz: nunca acreditei, mas pelo visto funcionou.

Lecticia Maggi
Professor Ávila olha o painel
O professor universitário Mário Ávila, de 50 anos, esperava um ônibus da linha Butantã. É a primeira vez que conto o tempo. Se funcionar, vai ser ótimo. Se bem que, se você está com pressa, isso só te deixa mais irritado porque tem que esperar de qualquer jeito, brincou.  No entanto, o professor já demonstrava apreensão: faz tempo que estou aqui e não sai dos 13 minutos. Do tempo inicialmente estimado foram acrescentados quatro minutos, possivelmente, em razão do trânsito. Porém, o ônibus chegou com apenas dois minutos de atraso.

Distante do painel

No corredor da avenida Santo Amaro, também na zona sul, a situação não era muito diferente e poucos usuários haviam reparado na tecnologia. A maioria estava sentada aguardando o transporte bem distante do informativo.

Este painel existe desde o ano passado, mas estava quebrado. Então, não olho mais, afirmou o estudante João Lucas de Carvalho Correia, de 14 anos, que mostrou ter razão, já que o monitor oscilava. Durante cerca de 5 minutos mostrava as linhas e o tempo presumido e, nos minutos seguintes, deixava de funcionar.

A sua localização também não favorecia os passageiros que, para conseguir enxergar, precisavam se levantar e andar alguns metros. Raramente pego ônibus aqui, não tinha reparado, mas, mesmo que pegasse, eu nunca iria perceber. Ele está escondido, avaliou a turismóloga Iracema de Jesus Souza, de 35 anos.

De acordo com a assessoria de imprensa da SPTrans,os corredores  Pirituba/Lapa/Centro, Santo Amaro/Nove de Julho/Centro e Expresso Tiradentes (eixo sudeste) já estão com os painéis funcionando. Nos corredores Campo Limpo/ Rebouças/ Centro e Parrelheiros/ Rio Bonito/ Santo Amaro os monitores já foram colocadores, mas ainda não operam.

Lecticia Maggi
Painel em ponto da av. Rebouças
A SPTrans informou que, dos 26 terminais da cidade, 16 têm a novidade. São eles: Jardim Ângela, Capelinha, João Dias, Cidade Tiradentes, Lapa, Pirituba, A. E. Carvalho, Guarapiranga, Sapopemba, P. D. Pedro II, Santo Amaro, Bandeira, Princesa Isabel, Vila Nova Cachoeirinha, Mercado e Sacomã.

A reportagem do Último Segundo, porém, visitou um dos locais citados, o terminal Santo Amaro, e constatou que os monitores serviam apenas para dizer o nome da linha para organizar as filas dos passageiros. Funcionários da companhia no local disseram que os aparelhos serão instalados gradativamente, mas não souberam dizer a data correta. No corredor da avenida Rebouças, ao contrário do que a companhia disse, foram encontrados painéis funcionando normalmente.

Olho vivo na internet

No site da SPTrans está disponível o Olho Vivo , um sistema que permite acompanhar a situação de fluidez dos ônibus em 112 quilômetros dos dez corredores exclusivos (Campo Limpo/ Rebouças/ Centro; Vereador José Diniz/ Ibirapuera/ Santa Cruz; Expresso Tiradentes (eixo Sudeste); Inajar Rio Branco/Centro; Itapecerica/ João Dias/ Santo Amaro, Jd. Ângela/ Itapecerica Santo Amaro; Paes de Barros; Parelheiros/ Rio Bonito/ Santo Amaro; Pirituba/ Lapa/ Centro; Santo Amaro/ Nove de Julho/ Centro) e em 135 quilômetros das principais vias de circulação do centro da cidade, entre elas, as avenidas Paulista, Radial Leste, Brigadeiro Luiz Antônio e Santos Dumont.

O usuário tem acesso a informações atualizadas de hora em hora sobre a velocidade média nos principais corredores paulistas, a extensão do trecho desejado e o tempo de percurso estimado.

Para o secretário municipal de Transportes, Alexandre de Moraes, a medida permite às pessoas programar melhor suas viagens. Isso vai dar transparência ao sistema coletivo de transporte público. A imprensa, além de informar, vai poder fiscalizar a qualidade e confiabilidade do serviço", avaliou.

O Olho Vivo funciona por meio de um Sistema Integrado de Monitoramento que utiliza a tecnologia GPS para a localização automática dos ônibus municipais.

Conforme a SPTrans, cerca de 85% da frota de 15 mil ônibus da capital já está rastreada. A empresa garantiu que, até o final de 2008, todos os ônibus terão o equipamento GPS implantado, permitindo 100% de monitoramento on-line.

Para a companhia, o sistema vai possibilitar soluções rápidas para quaisquer eventualidades durante o percurso, já que o equipamento envia uma mensagem para as centrais de controle avisando se o veículo sair da rota prevista ou ficar parado fora da garagem, por exemplo. Com isso, a SPTrans espera uma redução de custos, adequação da demanda e oferta e mais segurança aos usuários. Resta aos passageiros testar e avaliar a novidade.

Leia mais sobre: ônibus

    Leia tudo sobre: ônibus

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG