O prefeito do Rio de Janeiro, Cesar Maia (DEM), apontou para redução na média diária de registros confirmados de dengue no município, no seu ex-blog (boletim eletrônico) de hoje. Em março, foram 947,65 casos por dia.

Em abril, até o dia 16 haviam sido 295,35 notificações diárias com confirmação. "Todos os casos até março foram digitados assim como todos os casos de abril até o dia 16, inclusive, de forma a se ter garantias da tendência de redução", escreveu o prefeito, sem arriscar explicação para a queda.

O secretário municipal de Saúde, Jacob Kligerman, preferiu não comentar os números divulgados pelo prefeito. "Tem-se observado um ligeiro declínio no número de notificações de casos suspeitos de dengue, além dos atendimentos e internações pela doença. Os dados estão sob análise", limitou-se a informar a assessoria de Imprensa da secretaria. O número de casos suspeitos no município subiu para 56.919 - mais 1.466 em relação a ontem -, com 54 mortes. No Estado, morreram até agora 89 pessoas.

Para o médico Roberto Medronho, epidemiologista e infectologista da Universidade Federal do Rio de Janeiro, esse momento inspira cuidado. "Essa redução na epidemia era esperada. Infelizmente não ocorreu pelo combate ao vetor, mas porque há o esgotamento da população suscetível ao vírus e porque as condições climáticas já não são tão favoráveis para a reprodução do mosquito. Mas é preciso redobrar a atenção. Não se pode baixar a guarda nos serviços de saúde", alertou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.