Maia: afastamento de cúpula da Abin era única saída

O presidente nacional do DEM, Rodrigo Maia (RJ), afirmou hoje que o afastamento da cúpula da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) era a única medida que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva poderia ter tomado. Ou o presidente recuperava sua autoridade ou qualquer coisa poderia acontecer.

Agência Estado |

Inclusive, ele responder pelo crime de responsabilidade", afirma.

Maia admite que a decisão reduz a pressão política sobre o governo, mas entende que a apuração do escândalo precisa ter seqüência. Para Maia, é necessário que haja agora uma investigação independente sobre a revelação que a Abin espionou pelo menos um telefonema do presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes. "Essa investigação precisa ser conduzida pelo Congresso e pelo Ministério Público. Temos na Câmara, a CPI dos Grampos, que pode cuidar do caso. O que não faz sentido é colocar a Polícia Federal para investigar o caso. Não seria uma investigação isenta", diz.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG