Na esperança de se curar de uma hérnia na virilha, um aposentado de 76 anos caiu em um golpe aplicado por um mágico em Carapicuíba, na Grande São Paulo. Na terça-feira, o suspeito se passou por sobrinho do médium Chico Xavier, recolheu oito cartões bancários da vítima sem que ela percebesse e os usou em saques e compras. Ele contou com a ajuda de um auxiliar.

 No dia seguinte, o mágico Luciano de Souza Castro e o seu ajudante, Marcelo Alves Pinheiro, foram presos em um shopping na zona leste de São Paulo. Eles são apontados pela polícia como os autores do crime.

Para enganar o aposentado, a dupla usou um truque de mágica. A vítima, que pediu pra não ser identificada, contou que foi abordada por Pinheiro no corredor do supermercado. Ele questionou se o aposentado sofria de algum problema de saúde. "Eu disse que eu tinha hérnia na virilha, daí ele me perguntou se eu conhecia o sobrinho do Chico Xavier, que era muito bom para curar as pessoas." O desconhecido chegou a dizer à vítima que a mãe dele sofria de problemas no estômago e que foi curada pelo sobrinho do médium.

Depois disso, Pinheiro ligou para o comparsa e pediu que ele fosse até o supermercado. Os três se dirigiram até as proximidades da casa da vítima, em Carapicuíba, em um carro dos suspeitos. Segundo o aposentado, foi lá que Castro usou o truque de mágica para impressioná-lo. Ele pegou uma folha de caderno e mandou que o aposentado cuspisse nela. Em seguida, pediu uma moeda de R$ 1. "Eu não tinha e dei uma nota de R$ 2 para ele", contou.

O mágico então falou para o aposentado cuspir sobre a nota, colada na folha. Em seguida, jogou o papel no chão e pisou nele. Quando tirou o pé, a folha e a nota de dinheiro estavam sujas de tinta vermelha. "Ele (o mágico) me disse que era sangue e que isso era coisa de algum vizinho meu que queria me ver na cadeira de rodas ou no caixão", relatou o aposentado.

Após o truque, o golpista disse que faria um "trabalho" para a vítima, sem cobrar nada. O mágico pediu os cartões bancários do aposentado, que os entregou. Ele então fingiu ter embrulhado os cartões junto com quatro velas, mas os escondeu sem que a vítima percebesse. "Ele me disse para não abrir o pacote e não contar para ninguém. Depois falou que eu tinha de comprar ingredientes para fazer uma 'garrafada' e levar esse pacote e os ingredientes na Avenida Alice, na terça que vem, ao meio-dia." O mágico deixou com a vítima anotações dos ingredientes da "garrafada" - alecrim, catuaba, babatemão, sene e cipó cruz - o endereço de entrega e um telefone celular.

O aposentado voltou para casa e, de noite, desconfiado, resolveu abrir o pacote de velas. Foi quando percebeu que no lugar dos cartões estavam pedaços de PVC. Ele guardava colado nos cartões bancários um papel com a senha de cada um. Na manhã seguinte, depois de uma consulta médica - ele será operado da hérnia no sábado - a vítima contou à esposa o que havia acontecido. Ela então avisou o filho do casal.

Prejuízo

O filho da vítima, um analista de sistemas de 39 anos, disse que as despesas feitas nos cartões somam R$ 5,4 mil somente em débitos. A família ainda não sabe se foram feitos gastos nos cartões de crédito. Foi o filho quem cancelou os cartões do pai. Depois de pegar um extrato bancário, ele viu dois débitos, de R$ 700 e de R$ 36, feitos em uma mesma loja de roupas masculinas em um shopping na zona leste. "Falei com o gerente, que me disse que a pessoa que havia gastado isso voltaria naquele dia para buscar sete calças que havia deixado na loja para fazer a barra."

Após confirmar que o débito havia sido feito no cartão do aposentado, a loja acionou a segurança do shopping. Quando Pinheiro foi buscar as roupas, foi detido. Com as descrições do carro e do segundo suspeito, os seguranças fizeram uma busca no estacionamento e encontraram Castro dentro de um carro. Um kit de mágica foi apreendido. A Polícia Militar (PM) foi acionada e encaminhou a dupla ao 30º Distrito Policial (Tatuapé), onde a ocorrência foi registrada.

Leia mais sobre: golpe

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.