Maggi deve continuar no cargo de governador até abril

O governador de Mato Grosso, Blairo Maggi (PR), permanecerá no cargo até abril do próximo ano, quando irá se desincompatibilizar para concorrer ao Senado Federal. Até lá, Maggi espera consolidar a candidatura do vice-governador Silval Barbosa (PMDB) à sucessão estadual.

Agência Estado |

A expectativa era de que Maggi deixasse o cargo em janeiro. Maggi disse que está conversando sobre o assunto com a família e que vai levar a decisão ao conhecimento do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, "que sempre defendeu que eu continuasse na política".

Ele confirmou que o motivo de ter adiado sua saída da vida pública foi a decisão do empresário Mauro Mendes de trocar o PR pelo PSB. Mendes, presidente da Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt), era o nome mais provável para compor a chapa ao governo do Estado em 2010 como vice de Silval Barbosa. Nos últimos dois dias, o governador vem tentando costurar uma aliança com o DEM e o PP em torno da candidatura de Silval Barbosa. Por enquanto, a aliança é composta por PR, PMDB e PT, partidos que apoiam a candidatura da ministra Dilma Rousseff para a Presidência da República em 2010.

Alianças

Para tentar uma aproximação com o DEM, o governador Blairo Maggi convidou o senador Jayme Campos para participar de inaugurações de estradas no noroeste do Estado na última sexta-feira. Ao fim das conversas com Jayme Campos e lideranças do PP, Maggi disse que havia "alinhavado", mas ainda não tinha "arrematado" um aliança.

Ao fim da solenidade de inauguração das obras do governo do Estado no município de Juína (735 km a Noroeste de Cuiabá), na noite da última sexta-feira, o senador Jayme Campos concedeu uma entrevista na qual assegurou que mantém sua pré-candidatura pelo Democratas e reclamou da falta de diálogo por parte dos partidos governistas.

"A chapa está fechada, com Silval Barbosa para governador, uma vaga do Senado para Maggi e outra para o PT, não há o que oferecer ao DEM", disse Jayme Campos, que confirmou ter um acordo com o prefeito de Cuiabá, Wilson Santos (PSDB). "Vamos encomendar uma pesquisa em fevereiro e quem estiver mais bem cotado será o candidato ao governo do Estado", disse ele.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG