Um pé quebrado, alguns hematomas e o registro policial que, segundo a delegada da 2ª Delegacia de Polícia, se transformará em um inquérito, foi o saldo de um desentendimento entre uma professora e a mãe de uma aluna ocorrido hoje, na porta da Escola Estadual Cristo Rei, no bairro Real Park, em São José (SC). A professora foi agredida com socos e pontapés, tendo fraturado o pé com um dos golpes.

Ao chegar na escola, a mãe perguntou pela filha a um vigilante e foi informada de que ela já havia sido liberada após consultar a professora. A mãe, segundo a professora, já havia passado pela filha sem percebê-la. Foi então que a agressora partiu ao encontro da professora e começou a atacá-la.

A delegada Sandra Mara Pereira abriu inquérito para apurar o fato. Segundo informações, a mãe já foi denunciada em outras situações por maus tratos aos filhos. O inquérito deverá terminar em 15 dias e ser entregue ao Conselho Tutelar para que haja avaliação das condições psicológicas da agressora. A delegada informou que ela deve responder por agressão grave, pois a educadora teve fraturas.

Com 18 anos de profissão, a professora informou a delegada que nunca teve problemas com alunos e familiares e que não pensar em voltar a trabalhar.

A professora se submeteu a perícia hoje para determinar a gravidade da fratura. "Quando levei os alunos ao pátio, fui abordada pela vigilante, que perguntou da filha da mulher que estava no portão. Respondi que a turma tinha acabado de sair. A partir daí, ela se aproximou e comecei a levar socos. Caí no chão e fui recolhida por outras professoras", recordou a professora.

A mãe informou que, após fazer uma oração antes de sair de casa com destino à escola, teve um pensamento ruim. "Eu sabia que já estavam falando de mim nessa escola. Desde quando me entregaram para a polícia", afirmou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.