Madrasta alterou cena do crime, afirma promotor

O promotor Francisco Cembranelli, responsável sobre o caso da morte da menina Isabella Nardoni, afirmou hoje em entrevista coletiva que a madrasta, Anna Carolina Jatobá, teria alterado a cena do crime antes mesmo de Isabella ser jogada pela janela. Ela apagou manchas de sangue, mudou objetos de lugar e lavou uma peça de roupa, diz o documento com a denúncia, encaminhado hoje ao juiz Maurício Fossen, do 2º Tribunal do Júri.

Agência Estado |

Enquanto isso, Alexandre Nardoni foi ao térreo do edifício, onde estava a filha. "Enquanto ela (Isabella) necessitava de urgente socorro, o pai preocupava-se em mostrar a todos que havia um invasor no prédio."

O casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá foi denunciado hoje pelo Ministério Público de São Paulo por homicídio doloso (com intenção) triplamente qualificado. O promotor Francisco Cembranelli também pediu ao juiz a prisão preventiva do casal, responsabilizado pela morte de Isabella. Cembranelli fundamentou sua decisão nos artigos 121 (homicídio), 61 (agravantes: meio cruel, impossibilidade de defesa da vítima e ocultação de delito anterior), 347 (fraude processual, por alterar a cena do crime) e 13 (omissão), todos do Código Penal. A entrevista coletiva de Cembranelli começou às 15h15 e terminou cerca de uma hora depois.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG