BLANTYRE (Reuters) - A cantora norte-americana de música pop Madonna pediu a um tribunal do Malauí o adiamento da audiência para finalizar sua adoção de um menino desse país, situado no sul da África, disse um advogado ligado ao caso. O escritório de advocacia que trata do caso da cantora no Malauí encaminhou um formulário solicitando à Corte Suprema em Lilongwe que realize a audiência da adoção de David Banda em 15 de maio, em vez de 22 de abril, como marcado originalmente, disse o advogado, falando sob condição de manter o anonimato.

A necessidade de Madonna de viajar para os Estados Unidos por razões de negócios foi citada como justificativa para o adiamento, afirmou o advogado. Funcionários da Corte se recusaram a confirmar o recebimento do pedido.

'Adoção é uma questão confidencial e nós separamos formulários de adoção dos arquivos dos outros casos,' disse à Reuters o escrivão assistente na Corte Suprema, Thomson Ligowe.

O governo do Malauí recomendou no começo deste mês que a corte aprove a adoção de Banda.

A diva da música pop encontrou o menino em um orfanato em 2006 e logo depois deu início aos procedimentos para a adoção.

Ele vive em Londres com Madonna e seu marido, o diretor de cinema Guy Ritchie, desde pouco depois do início do processo de adoção.

A questão tem causado controvérsia no país. Críticos acusam o governo de passar por cima das leis que proíbem não-residentes de adotar crianças no Malauí, país que é um dos mais afetados pela Aids na África.

Estimativas indicam que a epidemia deixou um milhão de órfãos no Malauí.

(Reportagem de Frank Phiri)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.