Por James Mackenzie CANNES (Reuters) - A cantora Madonna disse na quinta-feira que fica feliz em ser cobaia num processo que, ela espera, poderá facilitar as adoções de crianças do Malauí, onde a epidemia de Aids deixou mais de 1 milhão de órfãos.

A Alta Corte do país do sul da África está analisando se Madonna poderá adotar um bebê malauiano. Um relatório da Comissão de Direitos Humanos do Malauí disse que a adoção seria ilegal porque não obedece as convenções internacionais e os procedimentos previstos pelas leis nacionais.

Madonna, que está apresentando no festival de cinema de Cannes um documentário sobre a situação das crianças do Malauí, disse que não tem sido fácil enfrentar a polêmica mas que fica satisfeita em participar de um processo que pode facilitar a adoção de mais crianças.

'Esperamos que, depois de passarmos por essa adoção, ficará mais fácil para outras pessoas adotarem. Fico satisfeita em ser a cobaia', disse ela.

O documentário de Madonna, 'I Am Because We Are', conta a história de seus esforços para adotar David, menino cuja mãe morreu no parto no Malauí.

Ela iniciou os procedimentos de adoção de David em 2006, e desde então o menino vive com ela e seu marido, o cineasta Guy Ritchie, na casa do casal em Londres.

David está com Madonna e Ritchie desde os 13 meses de idade. Seu pai, que aprova a adoção, o colocara num orfanato após a morte da esposa.

Leia mais sobre: Festival de Cannes

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.