Madonna chega aos 50 anos ocupada com nova turnê mundial

Por Mike Collett-White LONDRES (Reuters) - Madonna não terá muito tempo para preocupar-se com o fato de completar 50 anos de idade.

Reuters |

Enquanto muitas pessoas que passam por esse marco preferem fazer uma pausa para reflexão, a 'rainha do pop' está envolvida nos preparativos finais para sua nova turnê mundial, que começará em Cardiff, País de Gales, em 23 de agosto, uma semana após seu aniversário.

A julgar por suas turnês anteriores, 'Sticky & Sweet', que tem mais de 40 apresentações marcadas em volta do mundo, vai submeter Madonna ao tipo de estresse físico e mental que seria difícil para uma mulher de metade de sua idade.

Mas a artista de gravações mais bem sucedida do mundo nunca deixou que idade, sexo ou origem a atrapalhassem e sempre se manteve na ascendência, demonstrando uma facilidade extraordinária para reinventar-se justamente quando a Madonna antiga estava chegando perto da data de vencimento.

Sua reencarnação mais recente a traz como astuta mulher de negócios, depois de ela ter rompido com sua gravadora de longa data, a Warner Brothers, para fechar contrato com a Live Nation, empresa até pouco tempo atrás especializada em turnês musicais.

Além de ganhar supostos 120 milhões de dólares pela vigência do acordo, Madonna aparentemente foi uma das primeiras artistas a reconhecer o rumo atual da indústria musical.

Muitos artistas acreditam que as gravações musicais lhes vêm dando menos dinheiro que as apresentações ao vivo.

Portanto, estão pensando em passar menos tempo nos estúdios e mais nos palcos.

Mas os últimos anos não têm sido fáceis para Madonna.

Celebridade que frequentemente reage negativamente sob os olhares da mídia, Madonna pode ser universalmente admirada, mas não é universalmente amada.

Em 2006, sua decisão de adotar um garoto do Malauí cuja mãe morrera provocou polêmica nesse país do sul da África e fora dele.

Grupos humanitários no Malauí disseram que as autoridades infringiram as regras para ceder à vontade da superestrela, e a adoção foi contestada nos tribunais. Não pela primeira vez, Madonna conseguiu o que queria, e a adoção foi consumada.

Madonna tem dois outros filhos: Rocco, de seu marido, o cineasta britânico Guy Ritchie, e Lourdes, de um relacionamento anterior.

Ela dirigiu seu primeiro longa-metragem, que saiu em 2008, e, embora a crítica tenha se dividido, muitos disseram que ela deveria deixar o cinema de lado e se ater à música.

Seu casamento de oito anos com Guy Ritchie também vem sendo alvo crescente de especulações dos tablóides da Grã-Bretanha, onde Madonna passa boa parte do tempo.

Tanto Ritchie quanto Madonna negaram os rumores de um possível divórcio.

POLÊMICA

Madonna Louise Veronica Ciccone nasceu em Bay City, Michigan, em 16 de agosto de 1958, terceira dos oito filhos de uma família católica de origem italiana.

Seu grande avanço se deu em 1984, quando ela assinou contrato com uma gravadora e lançou seus primeiros dois grandes sucessos, 'Like a Virgin' e 'Holiday'.

No ano seguinte ela se casou com o ator rebelde de Hollywood Sean Penn e teve uma de suas atuações mais memoráveis no cinema, em 'Procura-se Susan Desesperadamente'.

Em seguida ela pediu ao diretor Alan Parker o papel biográfico da heroína argentina Eva Perón no musical 'Evita', que lhe valeu um Globo de Ouro em 1996.

Madonna já atuou em mais de 20 filmes, vários dos quais foram fracassos de bilheteria, mais notadamente 'Destino Insólito', de 2002, dirigido por Guy Ritchie.

Musicalmente, ela tem poucas rivais, se é que tem alguma.

A Associação das Gravadoras da América a considera a artista feminina de rock de maiores vendas no século 20 e a segunda maior artista mulher dos EUA em termos de vendas.

Ela detém o recorde mundial Guinness de maiores vendas de todos os tempos de uma artista mulher e já vendeu estimados 200 milhões de álbuns. Sua última turnê, 'Confessions', foi a mais bem sucedida de todos os tempos de uma artista mulher.

O jornal Sunday Times estima a fortuna de Madonna e Ritchie em cerca de 600 milhões de dólares.

Em 1989 o videoclipe de 'Like A Prayer', seu terceiro sucesso líder das paradas americanas e européias, que vinculava religião com erotismo, foi condenado pelo Vaticano e levou a Pepsi-Cola a cancelar seu patrocínio da cantora.

A publicidade resultante ajudou o álbum a virar best-seller mundial.

Em sua turnê 'Blonde Ambition', de 1990, Madonna usou sutiã cônico de Jean Paul Gaultier e cobriu o palco com imagens religiosas. O Vaticano descreveu o show como 'um dos espetáculos mais satânicos da história da humanidade'.

No show dos MTV Video Music Awards de 2003, Madonna beijou Britney Spears e Christina Aguilera quando elas cantaram seu clássico 'Like A Virgin'.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG