Secretaria afasta delegado que espancou funcionário público

Após ser impedido de passar em rua interditada, Alberto Castelo Branco bateu e prendeu José Raimundo Ribeiro Pires

Wilson Lima, iG Maranhão |

A Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA) afastou temporariamente o delegado Alberto Castelo Branco e de mais dois policiais civis. Eles são acusados de espancar e prender sem justificativa um funcionário público, José Raimundo Ribeiro Pires, de 44 anos, durante exercício da função.

Após ser impedidos de passar por uma rua interditada para manutenção, o delegado desferiu vários socos contra Pires e o levou para a delegacia. Ele e os outros dois policiais trabalhavam na delegacia de costumes, que apura crimes de poluição sonora e fiscaliza o funcionamento de estabelecimentos de diversões em São Luís.

Leia também: Impedido de passar em rua interditada, delegado agride funcionário

Segundo o delegado-geral Nordman Ribeiro, o afastamento ocorreu para evitar “ingerências” na investigação. O afastamento temporário não é exoneração. Alberto Castelo Branco, então titular da delegacia de costumes, ainda é funcionário da Polícia Civil e poderá voltar ao cargo assim que o processo for concluído.

null

O inquérito que investiga os abusos foi instaurado nesta semana após denúncias da imprensa e de internautas que postaram o vídeo do delegado e dos policiais agredindo o funcionário da Caema. “Essa é uma decisão (afastar o delegado) da corregedoria (de Polícia Civil). É um trâmite normal da investigação”, disse Norman Ribeiro. Ainda não se sabe o nome do novo titular da delegacia de costumes.

Na sexta-feira da semana passada, técnicos da Caema, incluindo José Raimundo Pires, faziam a manutenção do sistema de água e esgoto da rua 38, no bairro Ponta do Farol, na zona nobre de São Luís, quando foram abordados pelo delegado. A rua estava interditada e o delegado insistiu que deveria passar por aquele local. Quando Raimundo Pires disse que ele não poderia passar por causa da interdição, o delegado começou a agredi-lo. Mais dois policiais civis participaram da agressão. Pires foi preso e passou cinco horas em uma delegacia. Ele disse foi agredido primeiro e apenas reagiu.

    Leia tudo sobre: maranhãosão luísviolênciapolícia civil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG