Professora revela que escola faz bingo e é afastada no Maranhão

Cláudia Silva levou caso à prefeitura e pouco depois foi afastada. Secretaria nega relação, mas não explica os motivos

Wilson Lima, iG Maranhão |

Uma professora de história da rede municipal de ensino do Maranhão foi afastada após denunciar a realização de bingos dentro da escola Unidade Integrada Menino Jesus de Praga, no Planalto Vinhais II, bairro de classe média de São Luís. A Secretaria Municipal de Educação (Semed) negou que o afastamento da docente ocorreu por esse motivo.

Leia também: Idosos são presos durante bingo da Apae no interior de Minas

Segundo denúncias da professora Cláudia Regina Silva à Semed, desde 2009 alunos da escola eram obrigados pela direção a vender cartelas de bingos. Os bingos serviriam, segundo a direção do colégio, para manter parte da estrutura física da escola, hoje em condições precárias. O dinheiro arrecadado era usado na pintura das paredes de corredores e salas de aula.

Durante estes dois anos, foram realizados vários tipos de sorteio dentro da escola. De barras de chocolate, passando por relógios, pacotes de biscoito e sacos com salgadinho. As denúncias foram protocoladas na Secretaria Municipal de Educação no dia 08 de agosto. Pelas denúncias, os alunos eram liberados no último horário para vender as cartelas de bingo. Os sorteios ocorriam na próxima escola. Cada cartela era vendida por R$ 1. Os clientes normalmente eram os pais e amigos dos pais de alunos.

Em 13 de outubro, após oficializar as denúncias, a docente foi afastada da escola sem justificativas, segundo colegas de trabalho. Procurada pelo iG , a professora preferiu não dar detalhes sobre o assunto. “Estou com minha imagem muito exposta”, disse Cláudia Regina Silva. A amigos, ela disse que não estava arrependida das denúncias porque não compactuava com situações como essa.

Durante essa semana, o afastamento da professora provocou revolta dos alunos que fizeram protestos em frente à escola durante três dias. A escola atende cerca de 300 alunos da 4ª à 8ª série do ensino fundamental e também abriga crianças de bairros da zona periférica de São Luís como Vila Conceição, Portelinha e Vila Menino Jesus de Praga.

A direção da escola não foi localizada pelo iG para falar sobre o assunto. Mas a Semed, por meio de nota oficial, afirmou que “não compactua com essa prática de bingos em escolas e que vai apurar os fatos para tomar as providências cabíveis”.

    Leia tudo sobre: bingosão luísmaranhão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG