Médico do Samu suspeito de negar atendimento é afastado no Maranhão

Familiares do pedreiro morto no último dia 12 disseram que ligaram para o Samu 4 vezes e não foram atendidos; havia veículos disponíveis

Wilson Lima, iG Maranhão |

O médico que coordenava as operações do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) no dia em que um pedreiro morreu supostamente vítima de omissão de socorro foi afastado pela Secretaria Municipal da Saúde (Semus) de São Luís. Cristino Sousa, de 34 anos, morreu 12 de março após complicações de uma pneumonia.

Segundo informações do secretário Gutemberg Araújo, a decisão visa resguardar o médico durante o procedimento de sindicância interna que foi aberto após a denúncia. O médico também é alvo de um procedimento administrativo instaurado pelo Conselho Regional de Medicina (CRM) do Maranhão e também de um inquérito criminal do Ministério Público Estadual (MPE).

Saiba mais: Promotoria investiga morte por omissão de socorro no Maranhão

A Secretaria de Saúde também abriu sindicância contra o atendente do Samu que recebeu as ligações dos familiares de Sousa.

O médico e o atendente começaram a ser ouvidos na semana passada pelo MPE. A intenção da promotoria da saúde de São Luís é concluir o inquérito no máximo em três semanas e apurar de quem foi a decisão de não ter enviado uma ambulância para o atendimento do pedreiro.

Tanto o secretário Gutemberg Araújo, quanto o promotor da Saúde, Herberth Figueiredo, afirmam que existem indícios suficientes que comprovem o crime de omissão de socorro.

Caso

O pedreiro morava há menos de cinco minutos da base de atendimento do Samu na capital do Maranhão. Ele sofria de diabetes e há quatro meses era vítima de complicações de um Acidente Vascular Cerebral (AVC) isquêmico. Os familiares afirmam que ligaram para o Samu quatro vezes e que em todas não foram atendidos.

No momento da ocorrência, existiam veículos disponíveis e pessoal técnico especializado. O pedreiro morava em um bairro chamado Residencial Primavera, na periferia de São Luís.

    Leia tudo sobre: samunegligênciamédicofalta de atendimento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG