Falsários 'amputam' a mesma perna duas vezes para fraudar DPVAT

Operação da Polícia Federal realizada nesta terça-feira prendeu doze pessoas no Maranhão e Pará; rombo chega a R$ 1,5 milhão

Wilson Lima, iG Maranhão |

Doze pessoas foram presas na manhã desta terça-feira (6) pela Polícia Federal do Maranhão e do Pará acusadas de integrar uma quadrilha especializada em fraudes no seguro obrigatório DPVAT. O rombo nos cofres públicos, segundo a PF, chegou a aproximadamente R$ 1,5 milhão apenas no ano passado.

Segundo informações da PF, a quadrilha falsificava documentos e laudos médicos para conseguir acesso ao seguro DPVAT, destinado a vítimas de acidentes de trânsito. O DPVAT paga até R$ 13,5 mil para familiares de vítimas ou para aqueles que tiveram invalidez permanente.

Mais notícias do Maranhão

Conforme as investigações, um integrante da quadrilha, que já tinha um beneficio fraudulento alegando que sua perna direita havia sido amputada em um acidente, tentou obter novamente o seguro sob a mesma justificativa. Mas chamou a atenção dos policiais o fato dele ter apresentado dois laudos sobre a mesma invalidez em acidentes distintos. Na prática, falsário declarou que teve a mesma perna amputada duas vezes.

Além das prisões, a PF também efetuou 15 mandados de busca e apreensão nas cidades de Imperatriz e Senador La Rocque, no Maranhão e em Marabá, no interior do Pará. Foram apreendidos veículos, máquinas copiadoras, RGs, CPFs, entre outros. Os envolvidos responderão pelos crimes de falsificação de documento público e particular, falsidade ideológica, uso de documento falso, estelionato e formação de quadrilha.

    Leia tudo sobre: falsáriosdpvatseguro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG