Em dez anos, triplica o número de favelas em São Luís

Em alguns lugares, densidade populacional é de 26 mil pessoas por quilômetro quadrado. Na cidade, em média, é de 1,2 mil pessoas

Wilson Lima, iG Maranhão | 27/07/2011 18:38

Texto:
enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios

O número de favelas existentes em São Luís triplicou em dez anos. Dados do Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam que existem na capital maranhense 23 favelas. Em 2000, eram apenas oito.

Pelo IBGE, são considerados “aglomerados subnormais” - o nome técnico dado às favelas - o “conjunto constituído por no mínimo 51 unidades habitacionais ocupando – ou tendo ocupado – até período recente terreno de propriedade alheia (pública ou particular); dispostas, em geral, de forma desordenada e densa; e carentes, em sua maioria, de serviços públicos e essenciais”.

Foto: Wilson Lima/iG Maranhão Ampliar

Prédio abandonado em São Luís, capital do Maranhão, virou favela vertical

Na capital maranhense, a maior concentração de favelas está no noroeste da cidade, em uma região chamada Itaqui-Bacanga, que concentra bairros pobres e com uma grande densidade populacional. Das 23 favelas listadas pelo IBGE em São Luís, sete estão nessa região. Também surgiram em dez anos favelas na região nordeste da capital maranhense e no leste.

Algumas desses áreas, como Santa Rosa, Vila Mauro Fecury I e II e Residencial Paraíso possuem comércios, feiras e locais para diversão, mas ainda sofrem com a falta de infra-estrutura de fornecimento de água, coleta de esgoto e transporte público. Geralmente, são lugares com um grande número de pessoas.

Em ruas da Santa Rosa a densidade populacional é de 26 mil habitantes por quilômetro quadrado, média 3,5 vezes maior que a densidade populacional de Pequim, capital da China. Em outra favela, a Mauro Fecury II, há partes do bairro com densidade populacional de 21,8 mil pessoas. Em toda São Luís, a densidade populacional é de 1,2 mil habitantes por quilômetro quadrado.

O economista José Reinaldo Júnior, autor de artigos sobre o crescimento populacional de São Luís, afirmou que as favelas surgiram por conta de uma demanda local por moradia, uma vez que a capital do Estado ainda tem uma grande capacidade de atração de pessoas do interior do Estado. “Infelizmente, União, município e Estado ainda não conseguem dar conta desse fluxo de pessoas em direção a São Luís”, pontua.

O Instituto das Cidades, órgão da prefeitura de São Luís responsável pelo planejamento urbano local, pediu uma nova análise da classificação das favelas na capital maranhense. O Instituto acredita que o número de favelas seja ainda maior.

Em outubro, o IBGE lançara uma publicação específica sobre todas as favelas no País.

Texto:
enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG


Ver de novo