Rodoviários de S. Luís não entram em acordo com empresas e prometem manter greve

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Ônibus devem se manter parados pelo menos até as 10h desta quinta-feira; paralisação da categoria começou há uma semana

Os rodoviários de São Luís (MA) não entraram em acordo com as empresas na primeira reunião do dissídio coletivo, na tarde desta quarta-feira (28), no Tribunal Regional do Trabalho. A categoria pediu tutela antecipada, situação em que o juiz determina um valor para o reajuste dos salários. Assim, os ônibus continuarão parados pelo menos até decisão da assembleia marcada para esta quinta (29).

Leia mais
Greves deixam Salvador e São Luís sem ônibus

“Esperamos que saia a tutela antecipada amanhã (quinta), ainda pela manhã. Teremos assembleia às 10h para decidir se aceitamos o valor definido na tutela ou se recorremos”, disse o secretário administrativo do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Estado do Maranhão, Isaías Castelo Branco. A paralisação começou no dia 22, mas segundo ele, desde terça (27) quase 100% dos ônibus da capital maranhense estão parados.

Caso os rodoviários aceitem a determinação da tutela antecipada, ela fica valendo até que saia a decisão do dissídio.

Os rodoviários de São Luís reivindicam 16% de aumento salarial, tíquete-alimentação de R$ 500 por mês, inclusão de um dependente no plano de saúde e implantação do plano odontológico, redução da carga horária de sete para seis horas por dia e seguro de vida de dez vezes o piso, o que dá R$ 12.980 mil.

Os donos das empresas de ônibus dizem que só podem conceder aumento salarial se a prefeitura autorizar o reajuste dos preços das passagens – proposta com a qual o poder executivo municipal não concorda.

Leia tudo sobre: greveônibussão luís

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas