Escrivã morre após ser esfaqueada em delegacia do Maranhão

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Loane Maranhão Thé ouvia depoimento de um suspeito de estuprar as duas filhas adolescentes, quando ele sacou uma faca de cozinha e atacou a policial, que morreu no hospital

Reprodução/Facebook
Loane Maranhão Thé colhia depoimento de suspeito de estupro quando ele sacou uma faca e atacou a escrivã

A escrivã de polícia Loane Maranhão Thé morreu após ser esfaqueada dentro da Delagacia da Mulher, onde trabalhava na cidade de Caxias, a 360 km de São Luis, na tarde desta quinta-feira (15). Uma investigadora também foi ferida, mas foi socorrida e passa bem.

Segundo a Polícia Cívil do Maranhão, Loane, que não teve a idade divulgada, ouvia o depoimento do gari Francisco Alves, 42 anos, acusado de estuprar as duas filhas adolescentes, quando ele sacou uma faca de cozinha e atacou a escrivã, que foi atingida no coração. A investigadora Marilene Almeida, de 47 anos, entrou na sala ao ouvir os gritos e também foi ferida entre as costelas. 

Loane chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital. Marilene não corre risco de morrer. 

Ainda de acordo com a polícia, Alves saiu da delegacia sem ser impedido, mas foi preso cerca de 30 minutos depois. 

O corpo de Loane foi levado para Teresina, capital do Piauí, onde ela morava, e será enterrado na tarde desta sexta-feira (16). 

Relembre os crimes marcantes do ano passado:

Caso Joaquim - Corpo de Joaquim Ponte Marques, de três anos, é encontrado em um rio em Ribeirão Preto após ficar desaparecido. A mãe e o padrasto são os suspeitos do crime. Foto: Futura PressFamília Pesseghini - Segundo a polícia, Marcelo Pesseghini, de 13 anos, matou os pais - policiais militares -, uma avó e uma tia-avó, antes de tirar a própria vida em São Paulo. Foto: ReproduçãoCaso Tayná - Jovem de 14 anos foi violentada e morta no PR. Quatro jovens foram torturados e presos acusados do crime, mas depois liberados. 21 pessoas respondem pela tortura. Foto: Futura PressAmarildo - Pedreiro Amarildo de Souza, de 43 anos, morador da Rocinha, desapareceu após ser detido por PMs da UPP local. Até hoje seu corpo não foi encontrado. Foto: DivulgaçãoMenino boliviano morto em SP - Brayan Capcha, de 5 anos, foi morto com um tiro na cabeça durante assalto porque chorava muito e pedia aos criminosos para não matarem sua mãe. Foto: Janderson Oliveira/Futura PressAtropelamento de ciclista na av. Paulista - David Santos Sousa, de 21 anos, teve o braço arrancado em acidente. O membro ficou preso no carro e o motorista o jogou em um rio. Foto: J. Duran Machfee/Futura PressPolicial mata garoto em abordagem em SP - Douglas Rodrigues, de 17 anos, foi morto por durante abordagem. Tiro teria sido acidental. Fato gerou revolta e protestos na zona norte. Foto: Futura PressTurista estrangeira violentada no Rio - Norte-americana foi violentada diversas vezes e o namorado espancado por jovens dentro de uma van que circulava em Copacabana, na zona sul. Foto: Estefan Radovicz / Agência O DiaDentista queimada viva por ladrões em SP - Dentista Cinthya Magaly de Souza, de 47 anos, foi morta após assaltantes descobrirem que ela tinha apenas R$ 30 para sacar no cartão. Foto: Reprodução/MB/Futura PressMorte do MC Daleste - O funkeiro Daniel Pellegrine, de 20 anos, foi morto no palco com um tiro no peito enquanto se apresentava em Campinas, no interior de São Paulo. Foto: Divulgação/Facebook/Reprodução

Reveja outro

Leia tudo sobre: maranhãoesfaqueadapolicialescrivã

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas