Presos quebram grades e incendeiam colchões em motim em Pedrinhas, no MA

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Detentos se revoltaram contra operação mais rigorosa de revista de parentes em dia de visita em prisão maranhense

Detentos do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís, no Maranhão, iniciaram um motim nesta quinta-feira (06) após a segurança do presídio realizar uma operação 'pente-fino' durante a revista de parentes de presos durante o dia de visitas.

Leia também: 

Jovem de 24 anos morreu um mês após chegar a Pedrinhas

Maioria dos Estados omite dados sobre presídios do País

Veja imagens dos presídios com probelams no Brasil:

O presídio de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte, que registrou caso de canibalismo durante o ano e é alvo de investigação de pagamento de propina. Foto: Agência BrasilParentes se desesperam no portão da penitenciária de Pedrinhas, no Maranhão, durante a rebelião. Foto: Reproduçao TV GloboNo Complexo Penitenciário de Pedrinhas, no Maranhão, aconteceu a maior revolta de presos do Estado, em novembro de 2010. Foto: Gilson Teixeira/ASCOM/SSPConcita Ferreira mostra foto de seu filho caçula, Joarlison, que foi estrangulado na cadeia de Pedrinhas. Foto: João Fellet/BBC BrasilAparelho de TV e videogame Playstation 2 dentro de cela de Pedrinhas. Foto: Ministério Público do MaranhãoPanelas elétricas encontradas nas celas do Complexo Penitenciário de Pedrinhas. Foto: Ministério Público do MaranhãoO Complexo Penitenciário de Pedrinhas, centro da crise carcerária do Maranhão. Foto: Agência BrasilCorredor da Casa de Detenção de Pedrinhas, no Maranhão; 60 detentos já foram executados no ano passado. Foto: Clayton Montelles/DivulgaçãoTropa de Choque atua em presídio no Maranhão. Foto: ReutersDetentos do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís, no Maranhão. Foto: ESTADÃO CONTEÚDOGoverno cortou repasse de verba de presídio de Neves após fuga de preso. Foto: Alex de Jesus – 14.01.2013

Segundo a secretaria estadual de Justiça e Administração Penitenciária, o princípio de motim ocorreu nos Presídios São Luís I e II do complexo penitenciário, mas logo foi contido por homens da Polícia Militar e da Força Nacional que, desde dezembro, reforçam o policiamento no interior do estabelecimento.

Durante o tumulto, os presos quebraram grades e atearam fogo a colchões. Alguns detentos sofreram ferimentos leves e receberam atendimento médico no próprio local. Após o fim do motim, policiais militares revistaram as celas das duas unidades.

Maior estabelecimento prisional do estado, o Complexo Penitenciário de Pedrinhas abriga os principais líderes das duas facções criminosas que disputam o controle de tráfico de drogas no estado. De acordo com dados do Conselho Nacional de Justiça ao menos 60 presos foram mortos no interior do complexo em 2013. Outros três detentos já foram mortos esse ano, mesmo após a violência transpor os muros do complexo prisional.

Segundo as autoridades estaduais, partiu do interior de Pedrinhas a ordem para os ataques a ônibus, delegacias e policiais da Região Metropolitana de São Luís registrados no fim do ano passado e começo de 2014. Na noite do último dia 6, cinco ônibus foram incendiados na capital. Em um dos ônibus, cinco pessoas ficaram gravemente feridas, entre elas a menina Ana Clara Santos Sousa, de 6 anos, que teve queimaduras em 95% do corpo e morreu dias depois.

* Com Agência Brasil

Leia tudo sobre: pedrinhasmotimrebeliãomaranhão

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas