Ministério da Justiça oferece ao Maranhão vagas em presídios federais

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Penitenciária de Pedrinhas passa por uma onda de barbárie generalizada, com dezenas de mortes por decapitações e estrangulamentos; 62 presos já foram assassinados

Agência Estado

Gilson Teixeira/ASCOM/SSP
No Complexo Penitenciário de Pedrinhas, no Maranhão, aconteceu a maior revolta de presos do Estado, em novembro de 2010

O Ministério da Justiça ofereceu neste domingo (5) ao governo do Estado do Maranhão vagas em presídios federais para receber presos da Penitenciária Estadual de Pedrinhas, em São Luís, que passa por uma onda de barbárie generalizada, com dezenas de mortes por decapitações, estrangulamentos. Foram 62 assassinatos do ano passado para cá.

Conheça a home do Último Segundo

Criminosos incendeiam ônibus e deixam feridos no Maranhão

Trata-se de uma tentativa de ajudar o governo estadual a restabelecer a ordem dentro do maior complexo penitenciário do Estado. Caberá à governadora Roseana Sarney (PMDB) decidir se aceitará ou não o auxílio federal. Caso a oferta seja aceita, Roseana deverá indicar os nomes dos presos que serão transferidos. Depois, a Secretaria Nacional de Segurança Pública fará uma pesquisa para verificar a disponibilidade de vagas e a conveniência para receber esses presos entre os quatro presídios federais, localizados em Mossoró (RN), Campo Grande (MS), Catanduva (PR) e Porto Velho (RO).

Confronto de facções em presídio do Maranhão deixa três decapitados

Matança em Pedrinhas é "pena de morte" por exigências não cumpridas, diz juiz

Após decidido o destino dos condenados, o Departamento Penitenciário Nacional (Depen), com o apoio da Polícia Federal, se encarregam de fazer as transferências. De acordo com informações do Ministério da Justiça, advogados dos presos não podem se opor à mudança de endereço, sendo esta uma decisão administrativa da governadora. Se forem para algum dos presídios federais estarão sob regime de segurança máxima: ficarão em celas isoladas, com direito a apenas uma hora de banho de sol por dia.

Leia tudo sobre: GERALpedrinhasMaranhãofacção criminosapenitenciária

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas