Lutador é assassinado e turista americano fica ferido em assalto no Rio

Terminou em tragédia o Natal do lutador de jiu-jitsu Marcos Adriano Cavalcante, de 39 anos, e o seu amigo, o turista americano Brent Garret Massnan, de 36 anos. Marcos foi assassinado e Brent ficou ferido, durante uma suposta tentativa de roubo, na Estrada da Pedra de Guaratiba, na zona oeste do Rio de Janeiro. Ambos seguiam para Paraty, na Costa Verde, quando foram abordados por dois bandidos armados, em um dos acessos à Favela Cesarão, em Santa Cruz. Brent foi baleado na barriga e abandonado pelos criminosos na favela.

iG Rio de Janeiro |

Segundo a polícia, os dois amigos saíram da Barra da Tijuca e teriam parado o veículo no acostamento da estrada para pedir informações. Eles estavam numa Land Rover, dirigida pelo lutador. Os criminosos, que já haviam roubado um Fiat Siena de um motorista, renderam as vítimas e embarcaram na Land Rover. A polícia informou que há indícios de que os turistas reagiram ao assalto. Depois de uma suposta luta contra os bandidos, Marcos e Brent foram baleados.

O brasileiro morreu dentro do carro. Atingido na barriga, Brent foi jogado para fora do veículo e socorrido por moradores da favela. O americano foi levado para o Hospital Pedro II, em Santa Cruz. O laudo médico divulgado durante a madrugada diz que o estado de saúde do turista é estável.

Os criminosos conseguiram fugir. Auxiliados por uma empresa responsável pelo rastreamento via satélite do carro, a polícia recuperou a Land Rover cerca de três horas depois do roubo. O carro estava num dos acessos da Favela do Sapo, em Senador Camará, também na zona oeste. O corpo do lutador está no Instituto Médico Legal de Campo Grande.

Convite de Mike Tyson

Marcos Jara, como é conhecido o lutador brasileiro, e Brent Garret Massnan moravam em Los Angeles. O corpo de Marcos deve ser enterrado no sábado pela manhã. Depois do sepultamento, os amigos farão uma homenagem a ele em Copacabana, em frente à Rua Constante Ramos, onde o lutador jogava futebol de areia quando vinha ao Brasil.

Em 2003, o lutador brasileiro foi convidado para treinar o ex-campeão mundial de boxe Mike Tyson. Na época, Tyson estava com dívidas de quase R$ 1 bilhão. O desafio de Jara era prepará-lo para desafiar o bem menos conhecido Bob Sapp, astro do K-1 (mistura de kung-fu, caratê e kickboxing), por um cachê de R$ 5,8 milhões.

    Leia tudo sobre: rio de janeiroviolência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG