Lupi diz que bloquinho está esgotado e reafirma apoio a Temer

BRASÍLIA (Reuters) - Ao reafirmar seu apoio à candidatura de Michel Temer (PMDB-SP) à presidência da Câmara, o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, presidente licenciado do PDT, disse nesta quarta-feira que o bloco formado por PCdoB, PSB, PDT e outros partidos menores já cumpriu seu papel e está esgotado. O chamado bloquinho, composto por partidos da base de apoio ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foi criado há dois anos para atuar de forma conjunta na Câmara. Aldo Rebelo (PCdoB-SP) foi lançado candidato do grupo à presidência da Câmara, e a manutenção da aliança é defendida como forma de viabilizar uma alternativa fora do PT para a eleição presidencial de 2010. O nome de Ciro Gomes (PSB-CE) é o mais cotado.

Reuters |

Lupi, no entanto, não vê mais sentido na união dos partidos de centro-esquerda em um mesmo bloco.

"Acho que esgotou o projeto dele (bloquinho). Ele cumpriu seu papel durante dois anos. Agora é uma nova eleição, um novo momento", disse Lupi a jornalistas em entrevista coletiva no Ministério do Trabalho.

A Executiva Nacional do PDT se reunirá com a bancada do partido na Câmara no dia 21 para definir quem apoiará na eleição marcada para o dia 2 de fevereiro.

"O melhor para o país é a candidatura do Michel Temer", defendeu Lupi, argumentando que o peemedebista é o mais preparado e pertence ao maior partido da Casa, o que garantiria o respeito à proporcionalidade.

Lupi voltou a dizer que o PDT confirma o apoio ao senador Tião Viana (PT-AC) na eleição para a presidência do Senado. também no dia 2 de fevereiro.

"O que é melhor para o país é o equilíbrio de forças", afirmou.

Para o ministro, a "tendência majoritária" é que os deputados pedetistas resolvam apoiar Temer. Ele alegou que o fato de o PDT ainda integrar o bloquinho não obriga o partido a reforçar a campanha de Aldo Rebelo.

"Não existe apoio automático na política. Nessa eleição, ele (Aldo) foi o último a se apresentar como candidato", ressaltou.

(Reportagem de Fernando Exman)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG